Pesquisar

Entenda sobre o Marketing de Conteúdo: uma estratégia para marcas fortes 

Entenda sobre o Marketing de Conteúdo: uma estratégia para marcas fortes 
Avatar de Redator mLabs

Por

Publicado em

O marketing de conteúdo tem como premissa a criação de conteúdos em diversos formatos nos canais digitais (posts nas mídias sociais, artigos de blog, vídeos, ebooks, entre outros) para construir posicionamento de marca, ganhar autoridade e atrair público qualificado. 

Essa estratégia se baseia na entrega de conteúdo relevante e a construção de uma relação de confiança com o potencial cliente, conduzindo-o pelas etapas da jornada de compra. 

Mas, não basta criar um conteúdo incrível, que resolva as dores do público ideal, se esse conteúdo simplesmente não chega às pessoas certas. 

É preciso saber quais são os melhores canais e formatos de distribuição nas mídias sociais.  

Você sabia que o mecanismo de entrega de marketing de conteúdo mais comum é a mídia social? 

De acordo com a CMI, esses canais são usados por 87% dos profissionais de marketing para essa distribuição. O marketing de conteúdo gasta 62% menos e gera cerca de 3x mais leads do que o marketing de saída. Fonte: Demand Metric 

Mas como o marketing de conteúdo funciona exatamente? Onde as redes sociais entram nesse processo?  

Nesse texto vamos te explicar tudinho! Bora?! 😉   

O que é marketing de conteúdo? 

Marketing de conteúdo é uma estratégia para atrair e engajar o público-alvo por meio de informações úteis e de valor, que: educam, inspiram, entretém ou solucionam problemas.  

O objetivo do marketing de conteúdo é criar uma relação de confiança e fidelidade com o público, gerando mais audiência, autoridade e, consequentemente, clientes. 

Ou seja, essa estratégia não busca apenas promover um produto ou serviço, mas alcançar resultados por meio da identificação e conexão com o público.  

O marketing de conteúdo atua em todas as etapas da jornada de compra, ajudando o potencial cliente em busca de solução para seus problemas, até o momento de decidir qual marca, produto ou serviço é mais vantajoso para suas necessidades. 

Por que usar marketing de conteúdo? 

Primeiro, porque as pessoas simplesmente não aguentam mais receber anúncios o tempo todo, de marcas que nunca ouviram falar. 

Construir uma relação de confiança com o seu público, independente de quem ele seja, é o primeiro passo! Ou você pediria um desconhecido em casamento, no meio da rua? 

Ver um anúncio repetidamente, sem nunca ter ouvido falar da marca, é mais ou menos como isso. 

Mas, tem mais motivos pra você investir nessa estratégia. Vem! 

Atrair e reter a audiência 

Ao criar conteúdo relevante e valioso, as marcas atraem muito mais a atenção de seu público-alvo. 

Vai por mim, é muito mais fácil parar o dedo nervoso do seu potencial cliente, que ensine, informe ou revele algo, do que com um anúncio de vendas! 

Além disso, criar conteúdo de qualidade, aprofundado, coerente com os interesses do público, ajuda a nutrir leads e manter clientes engajados com a marca

Mas o que é um conteúdo de valor?  

Rafael Kiso, nosso Fundador e CMO, explica: 

Você pagaria para ver o conteúdo que está criando?  
Se a resposta for sim, você está no caminho certo. Essa é a principal lógica para se ter um bom crescimento nos canais digirais. É sobre entregar valor genuíno! Quando geramos conteúdo valioso, algo que realmente importa para nossa audiência, estamos construindo o caminho para o sucesso. É como oferecer algo valioso antes de pedir algo em troca. Nos dias de hoje, o conteúdo que faz sucesso é aquele que faz a diferença, que inspira, educa ou diverte, que transforma a experiência do espectador de alguma forma. Afinal, o verdadeiro sucesso está na entrega do valor autêntico. 

Construir Autoridade e Credibilidade 

O marketing de conteúdo permite que as marcas demonstrem seu conhecimento e experiência em seu setor.  

Isso é premissa para construção de autoridade e credibilidade da marca, gerando uma percepção positiva sobre a mesma. Logo as chances de conversão são maiores

Em seu Instagram, Rafael Kiso, Fundador e CMO da mLabs, se posicionou sobre o assunto: 

Entregar valor pode ser algo subjetivo, mas quando transformamos essa ideia em algo tangível, estamos falando sobre criar conteúdo pessoal, onde a emoção é palpável e, sobretudo, onde transmitimos autoridade. 

Tudo se resume em: identidade, conexão e, mais importante, autoridade. Uma empresa não é apenas um nome; ela precisa de uma voz, alguém que seja uma referência, que inspire confiança. Por quê? Porque, no mundo do marketing digital, é sobre conhecimento, conteúdo e conexão genuína. É mais sobre o que você sabe do que apenas o que você vende. 

Ser encontrado organicamente 

Conteúdo de qualidade, publicado com frequência, é fundamental para ter seu site ou blog indexado nos mecanismos de busca.  

Esses conteúdos permitem que você aplique técnicas de otimização para esses mecanismos, o famoso SEO

Mais abaixo, falamos melhor sobre SEO e Inbound Marketing

Engajamento nas Redes Sociais 

Conteúdo interessantes, relevantes ou divertidos, são compartilhados mais frequentemente nas redes sociais.  

O marketing de conteúdo ajuda a criar material que as pessoas desejam compartilhar e engajar, aumentando o alcance e engajamento da marca

relatorios-1

Educar o Público 

O conteúdo pode ser uma ferramenta eficaz para educar o público sobre produtos, serviços, setores e questões relevantes.  

Isso não apenas fornece valor ao consumidor, mas também pode influenciar decisões de compra informadas. Lembra que o marketing de conteúdo atua em todas as etapas da jornada de compra? 

Fidelização do Cliente 

Ao oferecer continuamente conteúdo valioso, é possível construir relacionamentos mais fortes com clientes. 

 Isso pode levar à fidelização, pois os consumidores são mais propensos a permanecer engajados e recomprar com marcas que fornecem valor consistente! 😊 

Geração de Leads 

O marketing de conteúdo é fundamental para geração de leads.  

Ao oferecer conteúdo valioso, as empresas podem capturar informações de contato de clientes em potencial interessados em seus produtos ou serviços.  

Com o contato dos leads, é possível entender melhor sobre os interesses e dores e assim direcionar melhor campanhas de conversão. 

Baixo Custo em Comparação à Publicidade Tradicional 

O marketing de conteúdo é mais barato que a publicidade tradicional. Segundo a Demand Métrica, o marketing de conteúdo custa 62% menos e gera cerca de 3x mais leads do que o outbound marketing. 

Ao criar conteúdo de alta qualidade, as empresas podem alcançar e envolver seu público sem depender exclusivamente de gastos com tráfego pago.  

Tendo um conteúdo de qualidade e usando táticas de SEO, seu conteúdo fica bem-posicionado nas buscas do Google e atrai visitantes organicamente. 

Adaptabilidade a Diferentes Formatos 

O marketing de conteúdo é flexível. Você pode criar conteúdo em uma variedade de formatos bem grande! 

De blog posts a vídeos, infográficos, podcasts, ebooks, pesquisas de mercado, cases de sucesso, entre outros, vale tudo se for para entregar valor ao público.  

Tudo vai depender do seu objetivo, estágio da jornada de compra e do público que deseja alcançar. 

Como montar a estratégia de marketing de conteúdo? 

Uma estratégia de marketing de conteúdo envolve definir os objetivos, o público-alvo, os temas, os formatos, os canais o tom de voz e os indicadores de performance.  

Bora destrinchar melhor esses aspectos? Vamos lá: 

1 – Entenda quem é seu público-Alvo e defina o tom de voz 

Um passo importantíssimo é definir a buyer persona, ou seja, o perfil ideal do cliente que se quer atingir.  

Lembrando que: buyer persona e público-alvo são coisas diferentes.  

Enquanto o público-alvo aborda: gênero, faixa-etária, estado civil, região do país, hábitos de compra, formação e profissão, a buyer persona engloba aspectos ainda mais profundos e específicos como: estilo de vida, hobbies, ambições, sonhos, breve descrição da sua história, valores, dores que deseja solucionar…  

Enfim, traçar a buyer persona da marca é praticamente criar um personagem que seria o consumidor ideal e personificado da marca. O público-alvo é um grupo mais geral. 

Delimitando o perfil ideal, ou seja, a buyer persona, fica mais fácil estabelecer o tom de voz que melhor vai comunicar e reter a atenção desse público. 

2 – Trace a jornada de compra  

A jornada de compra definem as etapas que um lead (cliente em potencial) passa antes de se tornar um cliente efetivo. O funil é dividido em etapas, cada uma representando uma fase específica do processo de compra. E claro, para cada etapa do funil, é preciso um conteúdo específico que vai comunicar com o público que se encontra nessa fase de compra. 

Aqui na mLabs, utilizamos a jornada Unbound Marketing, que direciona toda a nossa estratégia de marketing.  

marketing-de-conteúdo-1: jornada de compra

Rafael Kiso também pontua sobre a importância da jornada do cliente para os resultados em marketing: 

A jornada do cliente é como o coração pulsante de uma estratégia bem-sucedida. É aquela história de olhar para cada etapa do percurso do seu cliente e se perguntar: o que posso fazer para encantá-lo aqui? 
 
Imagine traçar uma rota estratégica: desde aquela primeira interação até o momento da compra, passando pelo pós-venda. Cada ação, seja uma campanha, conteúdo ou até um evento patrocinado, é direcionada para cada estágio dessa jornada. Parece muito mais claro e eficaz, não é? 
 
É aí que a lógica se faz presente! Se cada passo do cliente for uma etapa, tudo se torna mais claro e fácil para se criar estratégias que realmente engajam e encantam seu cliente. Todas as estratégias de maior sucesso se baseiam nisso. Ao entender e agir em cada etapa, você não só constrói uma marca sólida, mas também aumenta suas vendas. 

Conteúdo para topo de funil (descoberta) 

O topo do funil é a etapa de descoberta e aprendizado. 

O público nessa etapa está buscando apenas se informar sobre determinado assunto, muitas vezes não buscando uma solução efetiva para o problema. Nessa etapa, o público pode não conhecer sua marca e não ter qualquer tipo de relação, podendo até mesmo ser o primeiro contato que ele faz com a marca. A linguagem para essa etapa deve ser simples, sem muitos termos técnicos, para que todo mundo possa compreender. 

Nessa etapa, posts de blog, vídeos informativos, guias e infográficos são válidos. 

Conteúdo para meio de funil (encantamento e consideração) 

O meio do funil é a etapa de encantamento e consideração. 

Nessa etapa, o público percebe que há um problema, uma necessidade a ser solucionada. Nesse momento, já interessante direcionar o público para formulários que transformarão esse público em leads. A linguagem aqui já pode ser um pouco mais aprofundada. 

Webinars, minicursos, e lives são interessantes de serem trabalhados aqui para tornar o público em lead. 

Conteúdo para fundo de funil (conversão) 

O fundo do funil é a etapa de decisão! 

Esse é o momento em que o público está considerando resolver o problema, atender uma necessidade adquirindo o seu produto! É quando o lead está prestes a se tornar um cliente. 

Nessa etapa, depoimentos, cases de clientes e conteúdos que visam sanar qualquer dúvida que o público possa vir a ter sobre o produto e seu modo de usar, são essenciais. 

Conteúdo pós-venda (experiência própria e compartilhada) 

A pós-venda é a etapa para reter e fidelizar o cliente

Aqui, o objetivo é fazer com que o cliente continue consumindo seus produtos e quem sabe até se torne um divulgador fiel que gera conteúdo da marca em suas redes pessoais. Cabe utilizar do UGC (User Generated Content, em português, conteúdo gerado pelo usuário) nessa etapa. 

Além disso, conteúdos exclusivos para clientes, email de atualizações, materiais em primeira mão, programas de fidelidade e promoções, são interessantes. 

3 – Defina os objetivos de cada editoria 

O intuito do seu conteúdo é obter mais alcance, visualizações, seguidores, compartilhamentos, comentários, curtidas, engajamento geral, salvamentos, leads, cliques no link?  

Para atingir uma meta, são diversos objetivos, para aumentar o número de vendas, é necessário evoluir em diversos outros fatores. Cada editoria precisa ser focada para um objetivo específico para atingir uma meta final. 

Ter esses aspectos e objetivos em mente é essencial para montar uma estratégia eficiente. 

4 – Defina os canais e formatos de cada editoria 

Cada editoria precisa ser pensada para atingir um estágio da jornada de compra, seja de descoberta à conversão. 

Entre os formatos, existem aqueles que são mais interessantes para alcançar uma audiência maior, é o caso dos posts de blog, vídeos do YouTube, posts de redes sociais com temas mais gerais.  

Já os materiais ricos, por exemplo, podem ser criados com foco em captar leads. Normalmente, contatos que se envolvem com a marca e deixam seu contato, tem mais potencial de evoluir nos estágios da jornada até uma possível conversão.  

Ou seja, conteúdos mais simples e fáceis de consumir são ideais para topo de funil, já conteúdos densos e aprofundados são ideais para meio de funil e conteúdos que oferecem solução para as dores da persona, são perfeitos para o fundo do funil! 

É claro que não existe uma regra, o certo é explorar as características de cada formato para aproveitar o melhor de cada um para a estratégia.  

  • Posts nas mídias sociais 

As redes sociais com suas peculiaridades, podem ser exploradas de diferentes formas para a criação de conteúdo. 

Carrosséis do Instagram são ótimos quando o conteúdo é um pouco mais profundo. É o caso desse post que fizemos em nosso perfil, onde analisamos as estratégias das Big Sisters do Marketing.  

marketing-de-conteúdo-3: carrossel

É um conteúdo analítico e valioso, utiliza da característica do carrossel sequencial para criar uma narrativa e atrair o público a chegar até o fim.  

Os stories também podem ser utilizados para passarem conteúdo de valor que seja mais curto e pontual. 

Já no TikTok o formato promissor são os vídeos que informam e passam algum conhecimento enquanto entretém.  

E ao aproveitar o formato em vídeo, lembre-se de legendar, pois isso ajuda bastante na acessibilidade e faz com que mais pessoas sejam capazes de compreender o conteúdo. 

No Twitter (X), o formato que reina são os “fios” ou as famosas “threads”, que nada mais são do que uma sequência de tweets, um atrás do outro.  

Como essa rede é mais descontraída, a depender do nicho, pode ser válido uma linguagem mais descontraída e até mesmo a utilização de memes para transmitir a mensagem! 

Quer aprender como fazer um Calendário Transmídia? Clique Aqui 

Criar conteúdo em várias redes sociais, é importante e estratégico. Com a mLabs, esse trabalho fica ainda mais estratégico, pois dá para otimizar muito tempo utilizando recursos de gestão! Aqui você consegue agendar posts para todas as mídias sociais em um só lugar, de maneira muito mais rápida e eficiente.  

Ainda é possível gerar relatórios, criar legendas com Inteligência Artificial, responder inbox, criar links de aprovação de posts, gerenciar calendários e muito miais

 Teste grátis todos os recursos e veja se a mLabs funciona para você! 

  • Materiais Ricos 

Os formatos mais comuns de materiais ricos são: webinars, lives, ebook, minicursos, pesquisas, infográficos. Todo material rico tem a proposta de ensinar ou passar informações valiosas de forma gratuita. 

É o caso do que fazemos aqui na mLabs, divulgamos cursos, criamos pesquisas sobre o mercado de marketing e disponibilizamos ferramentas, tudo de forma gratuita.  

Por meio desses materiais, conseguimos alcançar nosso público, nos conectar com ele e sanar algumas dores! 

Oferecer esse tipo de conteúdo é uma estratégia para construir autoridade de marca e conquistar a confiança do público. 

marketing-de-conteúdo-2: materiais ricos
  • Artigos em Blogs 

Nos posts de blog, é possível trabalhar desde temas mais gerais para atrair visitantes até assuntos mais complexos e aprofundados para atrair um público mais qualificado.  

Além de pensar na jornada de compra, também é preciso utilizar técnicas de SEO para que seus artigos sejam mais estratégicos.  

Para isso, é necessária uma pesquisa para saber o que o público está buscando saber nos mecanismos de busca como: Google, Bing e etc.  

  • Vídeos 

O YouTube, assim como o Google, também é buscador, mas possui uma diferença: é uma plataforma focada em vídeos. Ou seja, é pra lá que os usuários vão para pesquisar informações ou tutoriais que estão no formato visual. 

Por isso, é uma das mídias mais consumidas no Brasil, ocupando atualmente a segunda posição dos canais mais consumidos no país.  

Mas não é só no YouTube em que os vídeos fazem sucesso, esse formato é literalmente um viral, seja para trazer informações valiosas ou para o entretenimento! É o caso dos vídeos curtos, que tomaram as redes depois do sucesso que foram os últimos anos do TikTok. 

O vídeo é uma das ferramentas mais poderosas para o marketing de conteúdo, pois permite transmitir mensagens de forma dinâmica, envolvente e emocional. Além disso, o vídeo tem um grande potencial de alcance e a visibilidade da marca.  

 É um ótimo formato para se aprofundar e criar conteúdo! 

  • Email Marketing 

O email marketing não está morto! Ele ainda é uma poderosa forma de se conectar com o público e garantir conversões. 

Um dos principais benefícios do e-mail marketing é sua característica de ser um formato mais próximo do usuário.  

Ou seja, a marca estará presente em um canal que a audiência acessa diariamente, o e-mail é pessoal e rotineiro na vida das pessoas. Além disso, as possibilidades de segmentações tornam possível a criação de uma comunicação personalizada para cada tipo de usuário que integra uma base de contatos. 

  • Podcast  

Segundo o Spotify, o consumo de podcasts cresceu 28% no Brasil em 2023. A pesquisa também revelou que o Brasil é o país da América Latina que lidera o ranking de horas ouvidas.  

Não é pra menos, esse foi um formato que ganhou muitos criadores de conteúdo nos últimos tempos! 

Parte do seu sucesso se dá à praticidade de consumo: é possível ouvir um podcast enquanto faz outras coisas, seja lavando a louça ou no caminho para o trabalho!  

E por ter muitos adeptos, existe uma infinidade de tipos de podcasts: desde conteúdo mais jornalístico e histórias de investigação até entrevistas com figuras públicas e bate papos. 

Um exemplo perfeito para você que está aprendendo mais sobre marketing de conteúdo é o nosso podcast, o Papo Social Media.  

Nele, nosso Fundador e CMO, Rafael Kiso, bate um papo com Bárbara Duarte, Coordenadora de Mídias Sociais da mLabs, sobre os principais assuntos do universo social media.  

Com o conteúdo, é possível se aprofundar em cases de sucesso, métricas, formatos de conteúdo, e muito mais! 

Quer saber mais sobre podcasts e como criar o seu? Clique aqui e saiba como! 

5 – Estabeleça os temas e monte um calendário 

O tema de cada editoria vai depender das dores, desejos, necessidades das buyer personas de cada marca.  

É essencial abordar conteúdos que sejam de interesse direto do público daquele determinado nicho do mercado.  

Claro, é sempre bom ficar atento aos assuntos em alta nas redes sociais, épocas do ano e datas comemorativas, vai que dá para encaixar com algum assunto que vá de encontro aos interesses do público. 

Baixe aqui o Calendário de Datas Comemorativas de 2024 GRATUITO 

6 – Defina e acompanhe os indicadores de performance 

Os principais indicadores de performance a serem analisados em uma estratégia de marketing de conteúdo são: 

  • Taxa de conversão 
  • Taxa de rejeição 
  • Ticket médio 
  • Taxa de retenção 
  • Taxa de clique 
  • Tráfego 
  • Novos usuários 
  • Usuários recorrentes 
  • Alcance 
  • Engajamento 
  • Custo por Clique, Custo por lead, Custo por engajamento  

Analisando esses dados, é possível mensurar quais conteúdos anteriores convertem mais, atraem mais o público, são mais lidos, e assim traçar ações mais estratégicas para os próximos conteúdos garantirem melhores resultados!   

Dicas para a hora de criar seu conteúdo 

Existem diversas boas práticas que devem ser consideradas na hora de criar conteúdo para os canais digitais. É importante se aprofundar em cada canal e formato, mas existem práticas que devem ser consideradas para qualquer tipo de conteúdo.  

Entre os principais está: se atentar a comunicação para ser clara e objetiva, manter o conteúdo de valor sempre e usar o storytelling. 

Entenda mais sobre essas dicas: 

Seja claro e objetivo 

Ninguém gosta de ler textos ou assistir vídeos longos ou prolixos né? Por isso, a dica aqui é: vá direto ao ponto, menos é mais! 

Fale apenas o que for necessário, de maneira clara, que seja fácil de entender. Pode ter certeza de que assim, você vai reter melhor a atenção das pessoas e fazer com que elas leiam mais seus conteúdos. 

Faça um conteúdo de valor 

Fazer um conteúdo de valor significa trazer para o público uma informação que vá fazer diferença em sua vida.  

Ele precisa terminar de consumir o conteúdo e pensar “Puxa, que legal, eu não sabia disso! Valeu a pena ter visto esse conteúdo.”, ou seja, tem que fazer valer a pena o tempo que ele irá passar consumindo as informações. 

Não faça o público perder tempo com conteúdos genéricos. 

Use e abuse do Storytelling 

O storytelling nada mais é que o ato de contar histórias. De acordo com um dos fundadores da mLabs, Rafael Kiso, o storytelling tem três pilares: o universo, os personagens e os altos e baixos que acontecem na história.  

Você pode passar uma informação, compartilhar um conhecimento, de uma forma narrativa para envolver o usuário. 

Mas mLabs, como eu narro uma informação? 

Você pode contar cases de clientes, ou apenas apresentar uma informação de maneira mais lúdica e em etapas, como se fosse o início, meio e fim de uma história.  

Entenda aqui como funciona o Storytelling 

Gostou do conteúdo? Para se aprofundar ainda mais no assunto e aplicar o marketing de conteúdo nas suas mídias sociais, faça nosso Curso Gratuito de Planejamento de Conteúdo para Mídias Sociais! 

Agende posts com a mLabs e economize horas de trabalho!

Gerencie todas as mídias sociais por 30 dias grátis

redes-sociais-banner

VOCÊ ACABA DE GANHAR 30 dias grátis