Como rastrear e identificar influenciadores da sua marca na web?

f1bce53e-d8fc-4762-a2e0-aa39690abafd_blog_rastrear_influenciadores_post

Os influenciadores são pessoas que são cada vez mais procuradas por empresas que buscam divulgar alguma marca dentro do mundo das redes sociais.

Mas, como sua empresa pode usar suas experiências e influência nas estratégias da sua marca? Confira agora!

O que é um influenciador?

Um influenciador é alguém que está em evidencia, que consegue chamar a atenção das pessoas, capazes de movimentar e, claro, influenciar uma grande variedade de pessoas.

Os influenciadores digitais usam sua reputação em sites, blogs e redes sociais para alavancar serviços e produtos, eventos e novidades tanto no mundo digital quanto no off-line.

Mas com identificar quem são e quais são os tipos de influenciadores das redes sociais que podem expressar o posicionamento de sua marca?

Para descobrir qual tipo de influenciador sua marca precisa, o primeiro passo é fazer uma pesquisa sobre os blogueiros da atualidade, saber dentro os seus seguidores quais são as pessoas potenciais, etc. Para isso uma campanha online é perfeita!

Lembre-se que cada influenciador tem uma personalidade e um jeito diferente de lidar com quem interage com ele. Essa personalidade é importante para você verificar se o posicionamento de sua empresa vai de encontro ao dele.

As categorias de influenciadores

Podemos distinguir vários tipos de influenciadores. Esse conhecimento é importante, pois os instrumentos de medição e indicadores quantitativos por si só, nem sempre são pertinentes. Conheça alguns deles:

1. Os sentinelas

Altamente reativos, vasculham a web em busca de novidades, notícias e rumores relacionados com sua área de interesse. Sua capacidade de difusão e de atualização dos conteúdos é, geralmente, muito elevada (vários artigos diários, ótimo conhecimento de redes sociais).

2. Os formadores de opinião

Já tem notoriedade na internet (e fora), possuindo uma capacidade de análise e reflexão maior que os “sentinelas”, mas suas atividades e meios de expressão são diferentes. Sua produção é mais rara.

3. Especialistas e avaliadores (conhecidos como “raters”)

São interessados, geralmente, em questões relacionadas com a cultura high-tech, pois possuem uma identidade estabelecida em sua comunidade de referência. Eles testam, avaliam produtos e têm muito respeito e credibilidade pelos seus seguidores.

4. Os pistoleiros

Seu carisma e sua capacidade de convicção que os diferenciam. Geralmente, suas opiniões são divididas, mas pode ter um impacto real sobre o comportamento da comunidade.

O acompanhamento dos influenciadores pode ser motivado por várias razões:

  • Produção de conteúdos e SEO: identificar os “sentinelas” e blogueiros bem informados ajuda na publicação de conteúdos mais rapidamente e, por sua vez, ser identificado como fonte potencialmente influente (ex: interessante para um blog de empresa).
  • Marketing e Comunicação: seguir formadores de opinião para antecipar possíveis mudanças nas expectativas focadas em um produto/serviço e ganhar em reatividade.
  • Relação com clientes e reputação: os influenciadores, como representantes de sua comunidade, podem cristalizar o sentimento do consumidor sobre uma marca e poupar tempo na implementação de uma estratégia de clientes apropriada (principalmente sobre a resolução de problemas).

Como fazer para abordá-los?

É avaliando o tamanho e a atividade da audiência de um blogueiro que se determina a sua credibilidade e sua capacidade de difusão, em outras palavras, se este mereceu o seu “status” de influenciador. Para sabê-lo, basta fazer algumas pesquisas sobre, entre outras:

1. Seu impacto em redes sociais como o Twitter e o Facebook.

É fundamental saber até que ponto os seus conteúdos são reutilizados nas redes sociais, tornando-se verdadeiros motores de influência.
No Twitter: é preciso determinar o número de “retweets” ou “backtweets” (índice de credibilidade).
No Facebook, você deverá monitorar a popularidade dos conteúdos e comentários que ele compartilha (ex: o botão “Curtir”, número de fãs, etc).

2. O número de links que apontam para conteúdos publicados pelo “influenciador” (ex: de blog para blog).

3. O número de comentários em seu blog e as estatísticas de botões de compartilhamento.

4. Sua identidade digital (através do pseudônimo ou do nome de usuário): para saber o que os usuários pensam dele.

5. A frequência da atualização de seus conteúdos.

6. A área de influência na web.

7. E for o caso, o número de recomendações no LinkedIn.

E você, tem alguma dúvida ou curiosidade sobre o tema? Compartilha com a gente!