O que é Google Shopping e como usá-lo na sua estratégia de marketing! 

Google Shopping: imagem de uma pessoa usando o celular. Na tela, aparece uma página de compra de roupas.

Durante suas buscas na internet, é bem provável que você já tenha se deparado com o Google Shopping — a “vitrine” de produtos do Google.  

 Segundo a pesquisa State of Search Brasil, realizada com o apoio do SEMRush, essa foi a funcionalidade do Google mais usada pelos usuários em 2020 

E não foi à toa que os anunciantes apostaram suas fichas no recurso de compras. Segundo dados da Escola de E-commerce, a taxa média de conversão do Google Shopping é de2,5%, valor 36% maior que a taxa média das lojas virtuais brasileiras. 

O que é o Google Shopping  

O Google Shopping é um serviço do Google que mostra os produtos correspondentes a uma busca, como se fosse uma vitrine virtual, sabe? 

A funcionalidade é muito útil tanto para os usuários que desejam comparar preços, quanto para empresas que buscam aumentar suas vendas online. 

Os resultados aparecem na busca tradicional do Google, basta digitar o nome de um item para que o recurso de compras apareça no topo da tela. Também dá para clicar na setinha lateral e navegar pelo carrossel de produtos. 

No exemplo abaixo, nós realizamos uma busca por “camiseta branca feminina” e logo de cara já apareceram várias opções de compras.  

Google Shopping: imagem de uma busca no Google por camiseta branca feminina. Os resultados mostram anúncios de camisetas de várias marcas.

Também é possível encontrar mais resultados do que os que estão aparecendo no carrossel, é só filtrar por categorias como preço, marca, tamanho e passar horas navegando até decidir qual comprar! 🤩 

Diferença entre Google Shopping e Google Ads 

Google Ads é uma plataforma de anúncios do Google que ajuda a impulsionar e dar mais visibilidade para as marcas de forma segmentada, de acordo com a intenção de busca dos usuários. 

Basicamente, ela funciona assim: o criador das campanhas escolhe as palavras-chave, o posicionamento do anúncio, segmenta o público-alvo e determina a forma de cobrança. Tudo alinhado ao seu objetivo de marketing. 

O Google Shopping também é uma opção de posicionamento de anúncio e pode ser escolhido na hora de criar a campanha pelo Google Ads.  

Mas, diferentemente do Ads, no Shopping é o próprio Google que determina os termos relevantes para oanúncios, de acordo com a descrição dos produtos.  

Lá em 2011, quando o Google Shopping foi criado, era possível usá-lo gratuitamente. Depois, a ferramenta passou a ser paga e integrada à plataforma de anúncios.  

Mas, em março de 2020, por causa da pandemia, o Google Shopping tornou-se independente e passou a mostrar anúncios também de forma gratuita.  

imagem de um banner publicitário para divulgação do webinar de google ads para pequenas verbas da mLabs em parceria com a agência #TudoNosso

Como funciona o Google Shopping?  

Como você pode ver, o Google Shopping é uma verdadeira vitrine online. Na plataforma é possível visualizar fotos de produtos, comparar preços e, é claro, seguir para o site do e-commerce e concluir a compra. 🤑 

Mas, para que um item seja exibido nas pesquisas, ele precisa ter um cadastro completo, com o máximo de informações preenchidas para que o buscador entenda que o produto é relevante para a pesquisa do usuário.  

O próprio Google recomenda que alguns atributos específicos sejam usados para listar os produtos, como: 

  • Números Globais de Item Comercial (GTINs); 
  • marca; 
  • cor; 
  • tamanho; 
  • estampa; 
  • material; 
  • gênero. 

Essas informações funcionam como as palavras-chave e ajudam o usuário a encontrar o item mais facilmente. Saiba mais sobre as práticas recomendadas para listar produtos gratuitamente no Google Shopping. 

Agora, se você já investe em anúncios no Google Shopping, saiba que você leva uma grande vantagem em comparação à listagem gratuita. 

Os produtos patrocinados aparecem em destaque na página inicial do Google. São esses resultados que aparecem no carrossel, lembra?  

Já os itens gratuitos são disponibilizados depois dos anúncios e, para visualizá-los, o usuário precisa clicar na aba “Shopping”.  

Google Shopping: print de tela da busca no Google por camiseta branca feminina. Na aba Shopping, mais resultados são mostrados.

Vantagens de usar o Google Shopping na sua estratégia de marketing 

O Google Shopping oferece várias vantagens para lojas virtuais e vai dar um up na sua estratégia. Confira a seguir! 

Aumento de tráfego para loja virtual  

Quando um anúncio se posiciona no topo das buscas no Google Shopping, há um aumento na visibilidade da marca anunciante. Assim, são maiores as chances de atrair a atenção dos consumidores e direcioná-los ao site para conferirem mais informações sobre o produto. 

Geração de leads mais qualificados  

O Google Shopping oferece um grande benefício aos lojistas: tanto os anúncios quanto os itens da listagem gratuita aparecem nos resultados de busca de leads qualificados, com alguma intenção de compra.  

Os produtos aparecem para usuários que realmente demonstraram interesse nos itens, o que mostra que são leads com um certo grau de maturidade, pois procuraram por um produto específico. Eles já têm ideia do que querem comprar e do valor que estariam dispostos a pagar. 

Aumento das conversões  

Com um público altamente qualificado acessando os produtos de um e-commerce, as chances de conversão aumentam.  

O usuário que chegou até a loja virtual provavelmente já analisou as outras opções disponíveis e já tem suas preferências definidas. O produto atraiu seu interesse e ele está pronto para concluir a compra. 

Mais chances de aparecer nos buscadores  

O Google Shopping é mais uma opção para aparecer nos mecanismos de buscas como o Google.  

Isso acontece porque uma marca pode aparecer na página de pesquisa por meio de anúncios comuns (na rede de pesquisa do Google), de maneira orgânica e, além disso, ter seus produtos no recurso de compras. 

Segundo o Internet Live Statsmais de 3 bilhões de pesquisas são feitas diariamente no Google. Imagina ser o resultado para uma parcela dessas buscas? 🤩 

Possibilidade de monitoramento dos produtos  

Uma boa estratégia de marketing digital precisa se basear em dados e, com o Google Shopping, você tem acesso a relatórios de desempenho de cada produto anunciado

Essa funcionalidade é ótima para identificar melhorias nas campanhas, analisar a performance de produtos concorrentes, otimizar estratégias, distribuir melhor as verbas e muito mais! 

banner com chamada para inscrição no clube social media exponenciais com vagas limitadas

Como se cadastrar no Google Shopping?  

Agora, você vai aprender a fazer o primeiro cadastro na ferramenta. Não deixe de seguir estes passos! 

Crie uma conta no Google Merchant Center  

O primeiro passo é criar uma conta no Google Merchant Center. Nesta plataforma, você poderá fazer o upload dos produtos que deseja anunciar no Google Shopping.  

Google Shopping: print da tela inicial do site Google Merchant Center. Na imagem, há vetores coloridos de pessoas. Duas delas estão erguendo um sapato por uma corda.
  1. Entre no site e clique em “primeiros passos”; 
  2. Faça login com um e-mail do Google e preencha o formulário com as informações sobre a empresa;  
  3. Selecione a opção “No meu website” para que os clientes possam finalizar a compra na loja virtual; 
  4. Clique em “criar conta”. 

Registre a URL da sua loja virtual  

Nesta etapa, é preciso registrar e verificar o domínio do e-commerce: 

  1. No Google Merchant Center, acesse a página “Sobre sua empresa” e vá até “Informações comerciais”; 
  2. Insira a URL do domínio completo, com o https://
  3. Para verificar a URL, clique em “Tenho acesso ao meu servidor” > “Escolher método” > “Adicionar uma tag HTML à minha home”; 
  4. Um código será gerado. Você deve abrir o painel de administrador no site do e-commerce e inserir o código no campo correspondente;
  5. Volte à aba do Google Merchant Center e selecione “Verificar URL”. Em seguida, clique em “Reivindicar URL” para autorizar que os produtos da loja virtual apareçam no Google Shopping. 

Como inserir produtos no Google Shopping 

Você deve listar quais são os itens vendidos pelo e-commerce, bem como suas informações e atributos principais. É o momento de configurar um feed de produtos no Google Merchant Center.  

Calma, você não precisa cadastrar os produtos um a um! 😅 É possível carregar um arquivo que contenha todas essas informações.  

O Google possui uma especificação para o seu feed de produtos. Neste link, você confere quais são as informações não podem faltar. 

Para configurar o feed de produtos no Google Merchant Center, você deve: 

  1. Clicar em “Produtos” no menu principal e, em seguida, “Criar feed de produtos”; 
  2. Ajustar algumas informações básicas, como o idioma; 
  3. Selecionar “Surfaces do Google” > “Continuar”; 
  4. Agora é a hora de subir o arquivo com o catálogo de produtos. Quando finalizar, clique em “Criar feed”. A lista com os itens deve ser importada dentro de 48h. 

Como anunciar no Google Shopping – Passo a passo 

Confira dicas de marketing certeiras para criar anúncios e aparecer na ferramenta de compras do Google, passo a passo! 

1. Escolha o seu objetivo  

O primeiro passo é fazer um planejamento e definir os objetivos a serem alcançados. Qual é o foco das suas campanhas? Aumentar o tráfego do site, ampliar a percepção de marca, gerar mais vendas? 

Trace metas alcançáveis e acompanhe-as ao longo do tempo. Fique de olho e certifique-se de que o investimento está, realmente, valendo a pena. 

2. Determine o valor máximo por clique  

É preciso definir o CPC (Custo por clique): o valor máximo que a empresa está disposta a pagar ao Google a cada vez que clicarem no anúncio. Esse valor varia de acordo com o investimento a ser feito.  

Em uma campanha realizada pelo Google Adsa cobrança funciona como um leilão, os maiores lances tendem a ter resultados mais interessantes.  

Para ajudar você a tornar esta etapa mais estratégica e dar lances mais competitivos, uma dica é usar a ferramenta do Google  Keyword Planner, para verificar a relação entre as palavras-chave e seu CPC médio.  

3. Configure a sua estratégia de lance 

As estratégias de lances estão diretamente relacionadas ao seu objetivo de marketing, definindo a forma de precificação da campanha. As três mais comuns são: 

  • CPM (Custo por mil impressões): estratégia de lance usada quando o foco é aumentar as impressões e a percepção de marca; 
  • CPC (Custo por clique): deve ser usada quando o objetivo é aumentar o tráfego; 
  • CPA (Custo por aquisição): deve ser usada quando a marca deseja ampliar as conversões. Mas o CPA não está ativo em todas as contas do Google Ads, é preciso que exista um histórico de conversões para que a ferramenta entenda o perfil do consumidor. 

Escolha a estratégia que esteja mais adequada à sua realidade e aos investimentos que está disposto a fazer. 

4. Defina os seus KPIs (Indicadores-chave de Performance) 

Os KPIs devem ser definidos com base em um histórico do desempenho do e-commerce.  

A partir dessas informações, defina indicadores para acompanhar de perto como ticket médio, taxa de conversão, ROAS (retorno sobre o investimento publicitário) e CAC (Custo de Aquisição de Clientes).  

Ao analisar esses dados, é possível entender se as campanhas do Google Ads para anunciar no Shopping têm melhorado os resultados da loja virtual. 

5. Mensure o resultado da sua campanha  

Quando sua campanha estiver “rodando”, não se esqueça de monitorar constantemente os resultados e fazer as alterações necessárias. 

O Google Shopping dá acesso a relatórios detalhados em que é possível analisar o desempenho de cada produto, valores dos lances e informações dos concorrentes que participam dos mesmos leilões que você. 

Com os dados, você pode fazer simulações, ter um overview sobre suas campanhas e obter insights para melhorias futuras.  

imagem de um banner publicitário com chamada para baixar gratuitamente o material produzido pela mLabs sobre Kit de Planejamento de Conteúdo para as redes sociais

Como aparecer no Google Shopping de forma gratuita?  

Para se destacar no Google Shopping na listagem gratuita, é preciso aplicar técnicas de SEO (Search Engine Optimization) às descrições dos produtos.  

São boas práticas que ajudam o buscador a entender a categoria e a relevância de cada item, posicionando-os em locais mais estratégicos dentro da aba “Shopping”. 

Aqui vão algumas dicas para colocar em prática: 

  • faça descrições completas de cada item; 
  • escolha uma categoria para cada produto; 
  • insira um título atraente e descritivo; 
  • atualize a descrição dos itens com frequência. 

7 dicas para otimizar os resultados dos seus anúncios no Google Shopping  

Veja as dicas a seguir para fazer anúncios com alto poder de conversão no Google Shopping e potencializar os seus resultados!  

1. Tenha atenção com a sua oferta de lance (Bid) 

Se você ainda está começando no universo de campanhas ou tem um perfil mais conservador, saiba que é comum configurar a sua estratégia de lance — também chamada de bid — no formato manual.  

Ou seja, é você quem decide o valor do CPC máximo e deve ajustá-lo de acordo com o andamento da campanha. 

É importante ficar atento ao valor da sua oferta para ser sempre competitivo no leilão. Um bid muito elevado pode gerar prejuízos e um muito baixo pode não trazer resultados. 

Portanto, faça testes. Ajuste o valor da sua oferta aos poucos, conforme analisa o desempenho da campanha. 

2. Negative palavras-chave fora do seu nicho 

Como dito anteriormente, para mostrar os anúncios no Google Shopping, o Google considera os atributos cadastrados nos produtos.  

Mas, mesmo que o buscador faça a identificação automática das características dos itens para mostrá-los nas pesquisas, você precisa negativar as palavras-chave que não fazem parte do seu segmento.  

Dessa forma, os seus anúncios vão alcançar as pessoas certas, aquelas que realmente têm interesse no seu produto. 

Por exemplo, se a sua loja é especializada em calçados femininos, uma boa prática é excluir termos não relacionados ao seu nicho como “bota masculina” ou “sandália infantil”. Assim, você economiza verba e atrai apenas leads qualificados para o seu anúncio. 

3. Capriche na descrição dos seus produtos  

O Google Shopping faz a leitura automática da descrição dos produtos e, a partir desses dados, mostra o anúncio em pesquisas relacionadas.  

Por isso, é muito importante caprichar nessas descrições, inserindo o máximo de informações possíveis sobre os itens. Valorize as características dos produtos e mostre seus diferenciais, incluindo palavras-chave que ajudem a identificá-los.  

4. Pense na sua aparência para dispositivos móveis 

Pensar na experiência mobile não é mais uma opção. Muitos usuários acessam a internet pelo celular.

Para se ter uma ideia, segundo uma pesquisa feita pela Escola de Administração de Empresas de São Paulo da Fundação Getúlio Vargas, em 2020, mais de 234 milhões de smartphones estavam em uso no Brasil

O conteúdo otimizado para experiência mobile é muito valorizado pelo Google! Então, para alcançar bons resultados, ajuste os seus anúncios às diferentes telas.  

Por exemplo: os títulos do Google Shopping podem chegar a até 150 caracteres, mas no smartphone, apenas 55 são exibidos. Pense nesses detalhes na hora de criar o seu anúncio. 

Além disso, para que o usuário possa navegar pelas páginas da loja virtual e realizar compras pelo celular, é imprescindível que o site possua uma versão otimizada para dispositivos móveis. 

5. Use boas imagens e bons copys para se destacar  

As imagens são muito importantes em anúncios do Google Shopping. Diferentemente dos links patrocinados, as fotos dos produtos estão em destaque atraem os cliques 

Por isso, capture imagens com câmeras de qualidade, para que o produto possa ter suas cores e texturas evidenciadas. Uma dica é fazer uma montagem que tenha, em uma mesma foto, vários ângulos do produto.  

Lembre-se de subir a imagem com até 16MB, para que não fique muito pesada. Além disso, fotos com bordas, marcas d’água ou textos promocionais não são permitidas pela plataforma. ❌ 

Em relação aos copys, é fundamental usar textos interessantes e persuasivos, com foco em conversão. Aplique a técnica em títulos, descrições e botões: o objetivo é se destacar da concorrência e conseguir mais cliques no anúncio. 

6. Garanta boas avaliações de vendedor  

Uma loja que recebe boas avaliações de clientes, certamente é vista com outros olhos pelos usuários.  

Essas avaliações são muito importantes, já que a listagem do Google Shopping mostra produtos similares, vendidos por diferentes lojas. Ter uma boa nota se torna um diferencial competitivo, e fará com que os compradores tenham mais confiança para realizar a compra.  

Para receber bons feedbacks dos consumidores, garanta um bom atendimento, faça a entrega do produto em seu perfeito estado e no tempo estimado. 

Na imagem abaixo, é possível ver as avaliações de alguns produtos do Google Shopping que foram resultados para a busca “camiseta feminina”: 

Google Shopping: print de tela da busca no Google por camiseta feminina. Aparecem produtos diferentes e, abaixo de cada item, estrelas mostram a avaliação de cada produto.

7. Fique atento ao limite de caracteres  

O Google Merchant Center tem um limite de 5.000 caracteres para serem usados na descrição de cada produto. Você pode alcançar esse limite, para tornar as descrições o mais completas possíveis. 

Ao inserir informações relevantes sobre o produto, você passa mais credibilidade e incentiva o usuário a clicar no anúncio.  

No post de hoje, você conferiu todo o potencial do Google Shopping para a estratégia de divulgação de produtos de uma loja virtual.  

Ao explorar essa funcionalidade, você tem mais chances de expandir o alcance da marca, atrair mais visitantes para a sua página de produto e converter mais vendas. 

Não pare por aqui, leia também sobre o Google Meu Negócio — outra ferramenta importante do Google que aumenta a visibilidade da marca nos resultados de busca! 😎 

Facebook Comments
Quer mais conteúdo como esse? Inscreva-se na nossa Newsletter!

Ao informar meus dados, eu concordo com a Política de Privacidade e com os Termos de Uso.

Posts relacionados