Mobile first: por que você deve pensar na experiência móvel nas redes sociais?

mobile first: uma mão segura um celular e dentro da tela é possível ver atalhos de aplicativos de redes sociais como Facebook, Instagram, Twitter e tumblr.

Se você tem o hábito de usar as redes sociais no desktop… Bom, provavelmente isso significa que você trabalha com elas. 

Afinal, o número de usuários que utilizam o celular para o Facebook ou publicar no Instagram aumenta a cada dia. Isso mostra a importância do mobile first para as marcas.

Aderir à essa tendência é muito mais do que deixar o formato das suas publicações e site adaptáveis para o mobile, é preciso pensar em toda a construção do conteúdo.

Neste post, vamos falar sobre a importância de pensar na versão mobile nas redes sociais, apresentando o conceito de mobile first e suas tendências.

Por que o mobile first é importante? 

O relatório Internet Trends 2019 mostrou que nós vivemos em um mundo cada vez mais mobile first. 

Em 2018, nos Estados Unidos, os dados já mostravam que mais da metade do tempo que as pessoas passavam em mídias digitais era em dispositivos móveis.

mobile first 1

Outra pesquisa, o Panorama Mobile Time/Opinion Box, mostrou que quase metade dos brasileiros já usam smartphone há cinco anos, 56% já fizeram compras em apps e 38% instalaram um aplicativo nas últimas 24h. 

O celular faz parte da vida das pessoas! Já o desktop nem tanto… Mas, se o mundo já é mobile first, por que muitas marcas ainda criam sites pensando apenas no desktop? 

Se você é uma dessas marcas, está na hora de mudar de ideia. 

O que é mobile first? Quais as vantagens?  

Mobile first é um conceito que muda a lógica de desenvolvimento de sites e aplicativos e propõe projetar primeiramente para mobile, depois para desktops. 

A ideia foi lançada por Luke Wroblewski, diretor de Produto do Google. Em 2009, ele já falava que o mobile estava explodindo e deveria provocar uma mudança nas empresas. 

Por anos, os profissionais de marketing e tecnologia — inclusive de social media — desenvolveram páginas e conteúdos sentados em frente a um computador, o que gera uma experiência melhor para quem também usa um desktop. 

Para essas equipes, o celular era apenas um complemento. Assim, a experiência mobile ficava em segundo plano. 

Mas a internet evoluiu, a navegação no celular melhorou e os smartphones tomaram conta da vida das pessoas. Algumas marcas entenderam a mudança e o poder do mobile e começaram a criar design responsivo, mas outras ainda estão presas ao desktop… 

O mobile first propõe a adaptação das marcas a esse novo cenário, que impõe a experiência nos dispositivos móveis como prioridade. 

Wroblewski aponta as principais vantagens de trabalhar pensando primeiro no mobile: 

  • aproveitar o crescimento explosivo do mobile nos últimos anos e as oportunidades de se conectar com a audiência; 
  • concentrar-se no que é essencial, já que a tela dos dispositivos móveis é menor que a do desktop; 
  • criar aplicações inovadoras e sensíveis ao contexto do usuário com os recursos do mobile (geolocalização e touchscreen, por exemplo). 

Portanto, a grande vantagem do mobile first é oferecer a melhor experiência ao usuário no dispositivo que ele mais acessa na sua vida — ou melhor, na sua jornada onlife. 

Como o mobile first está presente na jornada onlife? 

O conceito de jornada onlife parte do princípio que as marcas precisam entender como a persona vive. A jornada até uma compra acontece dentro da vida das pessoas, da sua rotina, dos momentos do seu dia. 

E essa rotina é permeada pelo digital o tempo inteiro. As pessoas estão conectadas, com o smartphone na mão, atentas a qualquer notificação. Estes números do Facebook um pouco dessa realidade:

Mobile first 2

Mas a jornada onlife vai adiante: as pessoas estão conectadas o tempo inteiro, principalmente no celular, em função das redes sociais. 

Elas são protagonistas na jornada onlife, porque são usadas para interagir com os amigos, contar experiências, descobrir novas marcas e se informar sobre o mundo. Tudo acontece lá. E não queremos perder nada! 

Desde a hora que acordam até voltar para dormir, as pessoas estão conectadas nas redes sociais pelo celular. Isso nos leva a concluir: se a sua marca quer fazer parte da jornada onlife dos consumidores, também precisa estar nas redes sociais. 

Mas não é só estar presente. As marcas precisam oferecer a melhor experiência por lá. Então, aqui voltamos ao mobile first: quando você pensa nas estratégias de social media da sua marca, a experiência móvel deve ser a prioridade. 

Como produzir vídeo pensando em mobile? 

Pensar na melhor experiência móvel nas redes sociais envolve pensar em mobile first na produção de vídeos. 

Afinal, o crescimento do mobile e das redes sociais está atrelado ao crescimento dos vídeos. Entre 2013 e 2018, o mobile saltou de 14% para 62% no share de visualizações de vídeos on-line, muito provavelmente movido pelas redes sociais. 

Mas não precisa de número para provar isso: é só abrir o Facebook, o Instagram e, mais recentemente, o TikTok, para ver que os vídeos dominaram as redes. 

Então, a evidência dos vídeos na jornada onlife mostra que as marcas precisam também se adaptar a essa tendência. O celular já não é apenas mais um meio de assistir aos vídeos — é o principal meio. 

Por isso, selecionamos algumas dicas para aplicar o mobile first na hora de criar vídeos para as suas redes sociais. Vamos a elas: 

Pense no contexto 

Como ganhar a atenção dos usuários em uma tela pequena, com todas as distrações que estão ao redor e todos os outros conteúdos que eles podem consumir? Nos vídeos para mobile, procure criar um conteúdo que atenda a estas três características:  

  • Imediato, para captar a atenção rapidamente; 
  • Autêntico, para despertar a identificação; 
  • Expressivo, para conquistar o olhar do usuário. 

Verticalize 

Os vídeos se popularizaram na tela horizontal do cinema e da TV. Mas agora eles migraram para a tela vertical do celular. 

Então, precisam entrar na ideia do mobile first: planeje o vídeo na vertical, para explorar o formato de tela mais usado. Depois, você adapta para a versão desktop. 

Otimize para o silêncio 

As redes sociais adotaram o autoplay sem som nos vídeos mobile. O áudio só aparece se o usuário ativar, o que geralmente acontece só se ele estiver sem outras pessoas por perto. Por isso, produzir vídeos com a ideia de mobile first significa pensar em clipes que funcionem bem sem som, com legendas se necessário. 

Crie na linguagem mobile 

Cada rede social tem recursos específicos na sua linguagem. No Instagram, há os stories, o IGTV, o reels, os stickers, as hashtags. No TikTok, as trilhas, os efeitos, as velocidades. No Facebook, o Kit de Criação de Vídeo. Portanto, não fique só no vídeo padrão — aproveite esses recursos para falar a língua de cada rede. 

Perceba, então, que é preciso mudar a forma de fazer vídeos. Em um novo meio (mobile) e um novo ambiente (as redes sociais), os vídeos também precisam se adaptar. 

Enfim, agora você já sabe o que é mobile first e por que esse conceito também é importante para quem trabalha com social media. 

Mobile first, na verdade, segue a ideia de colocar o usuário em primeiro lugar. Se a jornada onlife do usuário é tomada por vídeos, redes sociais e mobile, é lá que você deve oferecer a melhor experiência. 

Agora, se você gostou desse conteúdo e quer aplicar o que aprendeu, comece a construir o seu planejamento de mídia para redes sociais de olho no mobile first! 

Facebook Comments
Gestão de redes sociais Entenda por que a mLabs é a ferramenta de gerenciamento de redes sociais escolhida por mais de 120 mil marcas!

Posts relacionados