Bounce rate: saiba o que é taxa de rejeição no Google Analytics e como analisá-la

taxa de rejeicao google analytics: imagem de duas mãos digitando no teclado de um notebook com a página do Google Analytics aparecendo na tela

Ninguém gosta de ser rejeitado, né? Em uma estratégia de negócio que você investiu esforços para criar a sua página pensando em agradar ao público pode ser mais doloroso ainda. 😥

Brincadeiras à parte, a taxa de rejeição do Google Analytics deve ser levada a sério, ela é uma métrica importante para a performance do seu site e deve ser acompanhada de perto para impulsionar os seus resultados!

Continue a leitura e veja o que é taxa de rejeição, qual a sua importância, como ela é calculada e, o melhor de tudo, como reduzi-la!

O que significa taxa de rejeição no Google Analytics?

Taxa de rejeição ou Bounce rate é uma métrica que indica a porcentagem de usuários que acessou o seu site, blog ou landing page e saiu sem realizar alguma ação.

Ou seja, essas pessoas não clicaram em links, no menu, em qualquer outro botão e nem navegaram entre as páginas.

Isso pode acontecer de várias maneiras, seja porque o usuário fechou a página, digitou um novo endereço no campo de busca, voltou no menu do navegador etc.

A taxa de rejeição disponibilizada no relatório geral no Google Analytics mostra a rejeição geral do site. Mas, você também pode visualizar a taxa de rejeição de uma página ou de uma seção específica do seu site.

Qual a diferença entre taxa de rejeição e taxa de saída?

Enquanto a taxa de rejeição mostra quando um usuário entra no seu site e sai sem fazer algum tipo de interação, sendo a única página visualizada durante aquela sessão.

A taxa de saída mostra quando uma pessoa sai de uma determinada página, mas antes, realiza alguma interação no site.

Para facilitar, basta lembrar que a taxa de rejeição está relacionada à página de entrada do usuário e a taxa de saída se relaciona com a última página visitada (a página de saída mesmo 😎).

Por que você deve acompanhar a taxa de rejeição?

Você pode usar a taxa de rejeição para perceber a qualidade de uma página do seu site, ou até mesmo a “qualidade” de seu público – quero dizer se o público se encaixa no seu objetivo de marca.

Ao acompanhar essa métrica, você consegue ter Insights importantes para potencializar as suas ações de marketing – como a eficácia das CTAs (chamadas para ação), a qualidade do conteúdo – e planejar melhorias para aumentar a sua conversão.

imagem de um banner publicitário para divulgação do webinar de google ads para pequenas verbas da mLabs em parceria com a agência #TudoNosso

O que é considerada uma boa taxa de rejeição?

Para descobrir se a sua taxa de rejeição está aceitável você precisa considerar o objetivo e as metas determinadas para a sua estratégia de marketing, o seu nicho de mercado e o canal utilizado.

Enquanto algumas jornadas são mais longas, e as marcas precisam criar um caminho mais complexo para atingir o objetivo, outras têm apenas uma ação específica para atingir o alvo e, nesse caso, a taxa de rejeição costuma ser menos relevante.

Por exemplo, se você tem um conteúdo em seu site destinado a sessões de página e nela você convidar os visitantes a clicar em links externos (contato por WhatsApp), a taxa de rejeição também pode ser um indicador positivo na sua estratégia.

Confira a lista com as taxas de rejeições dos principais mercados divulgada pelo Google:

  • 10-30% – Sites de serviços;
  • 20-40% – Sites de varejo;
  • 40-60% – Sites de conteúdo;
  • 30-50% – Sites de geração de leads;
  • 70-90% – Landing Pages Institucionais;
  • 70-98% – Blogs.
imagem de um banner publicitário com chamada para testar o recurso inbox da mlabs de forma gratuita

Como medir a taxa de rejeição?

Para medir a taxa de rejeição do seu site divida o número de sessões de uma única página pelo número total de sessões no site.

Por exemplo, se 200 usuários acessam seu site (sessões no geral) e 5 deles saem sem acionar outra solicitação (sessões de página única), a taxa de rejeição de seu site é de 2,5%.

taxa de rejeição do site = sessões de página única / total de sessões

Além de calcular a taxa de rejeição do site como um todo, você também pode acompanhar dados específicos que norteiam a sua estratégia de marketing, como:

  • taxa de rejeição de links de terceiros: analisar as principais páginas de terceiros que levam tráfego para o seu site para estudar oportunidades no conteúdo;
  • taxa de rejeição de palavras-chave: analisar o desempenho das palavras-chave que geram tráfego para o seu site para usá-las de forma estratégica, inclusive em landing pages;
  • taxa de rejeição das páginas mais acessadas: identificar se existem páginas que geram muito tráfego, mas também possuem alta taxa de rejeição para otimizá-las.

Qual é a relação da taxa de rejeição e SEO?

A resposta para essa pergunta é um pouco mais complexa do que você imagina.

Segundo o Search Engine Journal, a taxa de rejeição não é uma métrica utiliza pelos algoritmos do Google para considerar uma página no ranking.

Mas, um estudo realizado pelo SEMrush, sobre os fatores de classificação do Google para o ranqueamento, traz outra vertente. Nele, a taxa de rejeição aparece como o 4º fator mais importante de ranking nas SERPs.

E, agora, quem está certo?

Por mais que o algoritmo do Google não considere a taxa de rejeição uma métrica preponderante para o ranking, isso não quer dizer que ela não seja importante.

Considerando que o RankBrain é um fator de classificação importante para o algoritmo do Google e que ele está diretamente ligado a intenção de busca do usuário, se uma pessoa abandona uma página sem interagir, quer dizer que ela não encontrou o que estava procurando.

Logo, o algoritmo do Google pode interpretar que essa página não deve aparecer posicionada nos primeiros resultados, já que ela não atende às expectativas dos usuários.

10 dicas para ajudar a melhorar a taxa de rejeição!

Agora que você já sabe a importância de acompanhar a taxa de rejeição para o sucesso da sua estratégia de marketing, veja dicas de sucesso para melhorar essa métricas e turbinar os seus resultados!

  1. Crie conteúdo focado na experiência do usuário;
  2. Insira CTAs eficientes nas suas páginas;
  3. Faça testes A/B para descobrir a sua melhor performance;
  4. Torne suas páginas fáceis de ler (scaneáveis);
  5. Use links internos no decorrer do conteúdo;
  6. Cuidado para não exagerar nos pop-ups;
  7. Sempre que possível use vídeos e imagens para prender a atenção do público;
  8. Disponibilize chat online para atendimento;
  9. Analise o tempo de carregamento da página e otimize se necessário;
  10. Tenha páginas responsivas, pense na experiência mobile.

Como você pode ver, a taxa de rejeição é uma métrica que deve ser analisada para otimizar os seus esforços de marketing e você pode usá-la de várias maneiras dentro do seu objetivo de negócio.

Quer saber mais como mapear os seus resultados dentro do Google Analytics? Confira como usar um Parâmetro UTM do Google Analytics para rastrear os links importantes para a sua estratégia.

Facebook Comments
Quer mais conteúdo como esse? Inscreva-se na nossa Newsletter!

Ao informar meus dados, eu concordo com a Política de Privacidade e com os Termos de Uso.

Posts relacionados