Taxa de engajamento nas redes sociais: o que é, como calcular e como melhorá-la usando a psicologia?

taxa de engajamento nas redes sociais

Você já parou pra pensar que cada interação que compõe sua taxa de engajamento nas redes sociais é feita por uma pessoa com emoções e sentimentos?

E, acredite: muitos desses sentimentos e reações são estimulados por gatilhos mentais.

Mas, como chegar fazer isso, afinal? A resposta passa pela psicologia e pelo neuromarketing.

Essas disciplinas ajudam a lidar com pessoas reais e permitem compreender seu comportamento para aproveitar ao máximo as oportunidades.

É por isso que, neste post, vamos apresentar algumas dicas valiosas de como usar a psicologia para aumentar sua taxa de engajamento nas redes sociais!

O que é a taxa de engajamento?

Antes de dar nossas dicas, queremos que você tenha clareza do que é a taxa de engajamento como esse cálculo é feito. Se você já tem esse assunto límpido na cabeça, pula dois tópicos e segue a leitura!

A taxa de engajamento representa o nível de interação dos usuários alcançados por um post ou página. Por isso, inclui reações, compartilhamentos, comentários e cliques. Obviamente, algumas redes sociais possuem interações específicas, como o “salvar” do Instagram. E ela também é contabilizada como uma interação para o cálculo da taxa de engajamento.

Existe uma fórmula geral para fazer esse cálculo, que é: total de interações sobre o alcance do post.

No entanto, essa fórmula é superficial, porque coloca todas as interações dentro de um mesmo pacote.

O ideal é fazer uma separação em dois grupos:

  •  cliques e reações
  • compartilhamentos e comentários

Os primeiros são mais importantes quando você usa CTAs de conversão ou quer gerar tráfego para uma página compartilhando um link. Afinal, o objetivo, nesse caso, é incentivar uma ação específica!

Já reações, compartilhamentos e comentários têm mais valor para a percepção e construção de marca. Por isso, são válidos para campanhas de branding e publicações que focam na visibilidade do negócio.

Além disso, é importante saber que existem duas maneiras de calcular o nível de engajamento: pelo alcance do post ou pelo total de seguidores na página.

O primeiro é mais específico e considera mais detalhes, como o total de pessoas não fãs que foram atingidas pela publicação.

O segundo, considera a média de engajamento por post sob o total de seguidores da página.

Lembre-se ainda de um detalhe relevante: algumas redes sociais são mais pessoais que outras. Isso significa que, no Facebook, é mais comum um pet shop ter um engajamento maior que um artigo técnico. Já no LinkedIn ocorre o oposto.

Como calcular a taxa de engajamento?

A fórmula básica é: interações (reações + compartilhamentos + comentários + cliques) / alcance. No entanto, é possível fazer adaptações.

Pegando esse exemplo, imagine um total de 184 reações, compartilhamentos e comentários e 664 cliques no post, com um alcance de 8774 pessoas. A fanpage tem 31000 seguidores. Desse modo, temos: 184 + 664 / 8774 = 0,0966 x 100 = 9,66%. Um ótimo resultado, certo?

Se fizermos o ajuste para considerar apenas reações, compartilhamentos e comentários, o cálculo muda totalmente. Veja: 184 / 8774 = 0,0209 x 100 = 2,09%.

Agora, se você considerar apenas esse grupo e os seguidores da página, em vez do alcance, temos: 184 / 31000 = 0,0059 x 100 = 0,59%. Percebe a diferença?

Em resumo, você pode usar diferentes maneiras de avaliar a taxa de engajamento. O importante é obter diferentes insights, que ajudam a definir as melhores estratégias e obter os melhores resultados.

E, falando em melhores resultados, bora falar de psicologia? Se liga que ainda tem muita informação relevante nesse post!

Dicas para melhorar a taxa de engajamento por meio da psicologia

cérebro gatilhos

A psicologia permite aos profissionais de marketing estudarem o comportamento do consumidor. Essa iniciativa é estimulada pelo neuromarketing, que ajuda a alavancar as vendas.

Conheça e use os gatilhos mentais

Melhores taxas de engajamento nas redes sociais dependerão da sua capacidade de ativar os chamados “gatilhos mentais” dos usuários.

Eles são estímulos que o cérebro recebe, processa e considera no processo decisório.

Essa informação parece menor, mas tem grande relevância. Todos os dias, tomamos aproximadamente 35 mil decisões. #wow

Algumas delas são o que vamos comer, que horas faremos exercício, que roupa vestiremos e como usaremos nosso tempo livre.

No entanto, essas decisões também determinam o que vamos consumir. É aí que entram os gatilhos mentais.

Eles ajudam a definir o próximo passo de maneira automática e estimulam o cliente a comprar determinado produto ou serviço.

Para alcançar esse patamar, os gatilhos mentais são divididos em categorias:

  • escassez: é a percepção de valor em algo que já foi perdida – ou está prestes a ser. Nas redes sociais, é a ideia de oferecer algo exclusivo, como um evento com vagas limitadas ou um produto fabricado em quantidade mínima. O objetivo é agregar valor pela exclusividade;
  • urgência: é similar à escassez, mas está mais direcionado para a necessidade de tomar uma ação imediata. Alguns exemplos são as promoções de black friday (que são limitadas) e os posts que têm os termos “ainda hoje” ou “agora mesmo” (e semelhantes);
  • novidade: é um gatilho despertado quando um produto ou serviço é lançado e gera a demanda pela compra. O objetivo é focar o que é novo, seja um conteúdo, um item ou qualquer aspecto que gere e agregue valor para aumentar o encantamento do consumidor;
  • prova social: surge quando todo mundo faz ou compra algo – e você também precisa daquilo. A melhor forma de ativar esse gatilho é colocar o número de pessoas que já agiu daquela maneira. Por exemplo: quantos usuários baixaram seu e-book, conquistou o certificado do seu curso ou é seu cliente.

Aposte na felicidade!

Os sentimentos sempre são compartilhados pelos usuários de redes sociais.

Como as pessoas se reconhecem nos sentimentos dos outros, a taxa de engajamento aumenta se você souber explorá-los. Você pode explorar qualquer emoção, mas a melhor delas é a felicidade.

É por isso que posts positivos têm, em média, 1,75 mais respostas positivas, enquanto os negativos fomentam 1,29 posts desse tipo.

Quer um exemplo que comprova essa situação?

Se você deseja comprar um modelo de carro específico, verá mais dele nas ruas. Isso também acontece com roupas, livros e outros objetos. Isso sempre acontece comigo, sempre achei muito misterioso!

A questão é: como criar essa ilusão de frequência?

A resposta está em mostrar sua mensagem de maneira repetida para potenciais consumidores de forma extremamente segmentada. Com o tempo, o conteúdo se tornará familiar e ajudará a construir uma relação de confiança.

Outra possibilidade é segmentar os visitantes que abandonaram o site e lançar campanhas de remarketing. Elas têm até 3 vezes mais engajamento que os outros anúncios.

Mostre o que o usuário está perdendo

As fotos de viagens e passeios dos seus amigos deixam você com aquele sentimento de que precisa viver mais e está perdendo tempo?

Acredite, isso acontece com todo mundo e se chama Medo de Ficar por Fora (ou Fear of Missing Out, FOMO).

Esse é um verdadeiro combustível para impulsionar as suas redes sociais. Enquanto as pessoas têm receio de perder alguma novidade ou experiência, você tem a oportunidade de explorar esse sentimento com cuidado.

Para isso, prometa apenas o que é capaz de cumprir e evite manipular a audiência. Alguns exemplos são:

  • 25 coisas para fazer antes dos 30 anos;
  • 1000 lugares para conhecer antes de morrer;
  • 10 coisas mais importantes para sua vida;
  • 20 vídeos para assistir que vão mudar a forma de enxergar seu futuro.

Instigue a curiosidade

Os seres humanos são curiosos por excelência. Então, por que não explorar essa característica?

Crie empolgação com os gaps de curiosidade, ou seja, crie posts com informações limitadas para provocar a audiência. Por exemplo: como aumentar a taxa de engajamento? Assista a este vídeo e veja a resposta.

A ideia aqui é preencher o espaço vazio criado pela falta de informação. Contudo, os conteúdos devem ser relevantes. Por isso, vale a pena pesquisar sobre eles em sites de perguntas e respostas.

Aproveite para usar as palavras porque, como, o que, onde, qual, quem e quando para ativar os gatilhos e engajar ainda mais os usuários. Assim, você trabalha mais de um aspecto para instigar a curiosidade.

Como você pôde perceber, existem várias formas de usar a psicologia para aumentar a taxa de engajamento. Além disso, ficou claro que existem diferentes maneiras de fazer esse cálculo. Agora, é só colocar as dicas em prática e atingir melhores resultados.

Se você curtiu esse post e quer se aprofundar ainda mais para aumentar sua taxa de engajamento nas redes sociais, descubra também os  7 posts para Facebook que geram mais engajamento!

Facebook Comments
Gestão de redes sociais Entenda por que a mLabs é a ferramenta de gerenciamento de redes sociais escolhida por mais de 30 mil marcas brasileiras!