Neuromarketing para criação de conteúdo

neuromarketing

É cada vez mais difícil se destacar em meio à tanta informação nas redes sociais, não é mesmo? Por isso, marcas e produtores de conteúdo precisam procurar maneiras de serem vistos. A popularização da Neurociência trouxe à tona, para nossa alegria, o Neuromarketing. Já conhece?

Embora seja um tema relativamente novo para a maioria das pessoas, o Neuromarketing é usado, há muitos anos em todas as mídias. Do texto ao design, tudo o que foi criado com base no comportamento do consumidor, é Neuromarketing e funciona bem.

Nós separamos algumas dicas pontuais que podem ajudar na criação de conteúdo e produção de um material rico e eficiente para sua marca. Dá uma olhada:

Estude a realidade

Vá a fundo na realidade econômica, social, cultural e psicológica do seu público. Estude, de acordo com suas possibilidades, o comportamento dele. Os relatórios que a mLabs oferece são um excelente começo para conhecer sua audiência e com quais conteúdos ela reage melhor.

O cérebro irracional

Esse órgão tão fascinante do corpo humano tem várias áreas de “processamento” e que funcionam de maneiras diferentes. O Neuromarketing mostra que 95% das decisões de compra, por exemplo, são feitas na parte inconsciente, o chamado “cérebro irracional”.

O cérebro irracional não reconhece palavras e números. Ele reconhece emoções, prazeres e lembranças. Enxergou a oportunidade?
Através de uma experiência positiva com a sua marca, você pode conseguir ativar essa área de emoções e construir um canal de relacionamento entre seu público e sua empresa.

O cérebro irracional e os prazeres

Sempre que possível, ofereça recompensas imediatas: conteúdo relevante, descontos e brindes.

O cérebro irracional e as lembranças

Conteúdo emocional pode funcionar muito bem, se sua marca permitir essa abordagem. Reflita como você pode usar seu produto para ativar boas lembranças de infância, por exemplo. Isso gera identificação positiva e traz bons resultados para sua empresa.

Gatilhos mentais

Essa é uma técnica bastante usada para estimular a atenção do seu público naquilo que você pretende vender ou apresentar. Vamos ver alguns exemplos?

– Autoridade: se você é a empresa com mais tradição no seu ramo de atividade, por exemplo, use isso a seu favor. As pessoas se sentem mais seguras quando sabem que aquele produto é de uma marca que entende do que faz.

– Solução: exponha um ponto de dor comum do seu público e, logo depois, ofereça uma solução bacana.

– Escassez: se um produto/serviço é limitado, ou está acabando, espalhe isso aos quatro cantos. Isso tende a chamar a atenção e, consequentemente, aumentar as chances de compra/clique/conversão.

Um arco-íris de possibilidades

As cores são ferramentas importantes dentro do Neuromarketing. Use e abuse delas para passar claramente uma mensagem, destacar-se ou posicionar uma marca.

– Cores claras no fundo de peças publicitárias e vídeos prendem mais a atenção por deixarem uma mensagem/produto em destaque.

– Branco: paz, sofisticação, ingenuidade.

– Verde: sustentabilidade, saúde.

– Laranja: criatividade, infância, juventude.

– Vermelho: amor, guerra, fome, sensualidade.

– Preto: luxo.

– Azul: frio, credibilidade, limpeza.

– Amarelo: riqueza, infância.

– Rosa: sofisticação, feminilidade.

– Roxo: luxo, zen.

Lembre-se:

– O Neuromarketing é bastante abrangente, complexo e, por isso, vale muito a pena ser estudado a fundo. Essas dicas são pontuais mas já vão fazer uma enorme diferença na produção dos seus posts. :)
– É bom lembrar que tudo isso deve ser usado de forma honesta e cuidadosa. O cérebro humano consegue distinguir muito bem quando está sendo conquistado ou passado para trás.

Por hoje é só! Aproveite que agora você conhece um pouco sobre Neuromarketing e estude o comportamento da sua audiência através dos relatórios da mLabs. Clique aqui e teste grátis por 7 dias!