Pesquisar

Viralizar é sempre o melhor caminho? Entenda quando pode te prejudicar! 

Viralizar é sempre o melhor caminho? Entenda quando pode te prejudicar! 
Avatar de Redator mLabs

Por

Publicado em

Não, você não precisa fazer uma dancinha no TikTok para viralizar. Essa é apenas uma das muitas formas que você pode tentar usar.  

Porém, não pense que viralizar é tão simples quanto fazer uma dancinha. Você pode até dar sorte em algum momento, mas com o ambiente das redes sociais cada vez mais competitivo, viralizar se tornou sinônimo de estratégia.  

Mais do que viralizar, engajar uma audiência, criar conteúdo de valor e uma comunidade em torno de uma marca, requer produzir com originalidade e criatividade e ter como resultado posts compartilháveis.  

É claro que não é só isso, existem vários fatores que podem fazer um conteúdo viralizar e nem sempre conseguimos identificar todos eles.  

Mas para que você crie conteúdo de qualidade e tenha mais chances dos seus posts chegarem ao maior número de pessoas possível, produzimos este artigo com várias dicas! Bora? 

O Que Significa “Viralizar” na Internet? 

Viralizar é um fenômeno que ocorre quando um conteúdo (pode ser um meme, uma história, uma notícia ou um assunto) alcança um grande número de pessoas em um curto espaço de tempo, se espalhando pelos meios digitais (em diversos formatos e canais) devido aos compartilhamentos e interações. 

Como você já deve ter notado, o termo remete à palavra “vírus” e não é à toa. Assim como uma gripe se espalha nas cidades, o conteúdo viral se espalha pela internet explosivamente, sem aviso prévio. 

Ele se espalha nas redes sociais, em blogs, fóruns, mídias tradicionais, boca a boca e outros meios que só contribuem para botar lenha na fogueira. 

Por que isso acontece? 

Em grande parte, devido à capacidade de conexão do conteúdo que faz com que um grande número de pessoas interaja e o compartilhe com outras pessoas. Transformando a própria audiência em promotores do post.  

É sempre bom viralizar um conteúdo? Entenda a opinião do especialista!  

Viralizar pode parecer o objetivo de todos nas redes sociais, mas pode ser um tiro no pé para alguns quando não viraliza no público da marca!  

Usar trends que não fazem sentido para a comunicação da marca ou para o nicho de um creator só para viralizar, por exemplo, pode prejudicar o engajamento da conta a longo prazo.  

De acordo com Rafael Kiso, Fundador e CMO da mLabs, viralizar pode atrair uma audiência desqualificada e se não houver interesse dessa audiência com os conteúdos produzidos após a viralização, o algoritmo pode entender que sua conta não é tão relevante: 

"As famosas trends podem ser tentadoras, mas cuidado! Se não estiverem alinhadas com o contexto do que você faz e vende, o engajamento pode ser apenas superficial. 

Você atrairá uma audiência que pode até seguir você, mas não se envolverá quando você compartilhar seu conhecimento. 

E o que isso significa para o algoritmo? Ele interpreta isso como falta de interesse e pode começar a reduzir o alcance das suas postagens. 

O algoritmo não quer propagar conteúdo irrelevante na rede; ele quer entregar o que as pessoas realmente se interessam em ver. 

A chave está em entrar em conversas existentes do seu mercado ou que você consiga realmente criar uma conversa nova e autêntica."

Essa lógica não se encaixa quando a marca ou o Creator possui um público mais generalizado, casos como: Magazine Luiza e Khabane Lame, por exemplo. 

É necessário avaliar seus objetivos e o contexto, mas vale muito mais a pena alcançar a persona da marca, do que uma multidão que não necessariamente se interessará pela temática, assuntos, produtos ou serviços oferecidos.  

Quais são os elementos-chave de conteúdo viral e como aplicá-los? 

A viralização depende de diversos fatores e em alguns casos, é até difícil entender bem o motivo de um conteúdo ter viralizado. 

Porém, quando analisamos vários, podemos identificar alguns elementos em comum e é neles que vamos focar. 

Afinal, mesmo que você tenha entendido que não é tão interessante buscar apenas viralização, essas dicas vão servir para que você otimize suas produções e aumente suas chances de obter maiores números em alcance e engajamento. 

Separamos abaixo alguns dos princípios que são base de um conteúdo que pode ir além da viralização e ser um bom conteúdo de valor na internet, confira! 

1. Conheça seu público 

O primeiro passo é entender exatamente com quem você está falando. Quais são as suas dores, desejos, ambições, desafios do dia a dia, necessidades, hobbies. 

Você precisa ter um público-alvo bem definido para criar um conteúdo que fale a mesma língua da audiência e aborda tópicos relevantes para a mesma. 

Lembre-se que um dos pilares do conteúdo viral é a relevância. Seu conteúdo não será relevante se você não levar em consideração para quem ele é direcionado e como ele pode entreter/informar/educar as pessoas. 

Você pode até investir na criação de uma buyer persona para ter uma comunicação ainda mais estratégica.   

2. Poste no lugar certo e na hora certa 

Saber os canais certos para postar os conteúdos é fundamental. Cada rede social e canal de marketing digital é diferente, exigindo diferentes abordagens. 

O LinkedIn, por exemplo, exige conteúdos mais informativos e úteis, enquanto o twitter conteúdos curtos e impactantes, já no Instagram os influencers exercem um papel fundamental. 

Escolhido o canal, você precisa descobrir qual o melhor horário de postagem para seu público-alvo, ou seja, o momento no qual eles estão mais livres e provavelmente conectados. 

Mas é bom lembrar que não existe receita de bolo, é importante testar diversos horários e entender o que funciona melhor para a sua marca/audiência.  

Além do horário de postagem, o que também pode ser uma boa sacada é aproveitar as oportunidades e o timing perfeito, para se conectar de formas inusitadas.  

Um exemplo de escolha de timing perfeito foi quando as marcas de streaming deram boas-vindas à Disney+ Brasil. Foi o momento ideal para uma interação dessa e a plataforma certa, já que o Twitter tem a fama de ser mais informal e humorística. 

viralizar-1: exemplo

3. Crie uma conexão emocional

Conhecendo seu público, fica mais fácil saber como criar uma conexão emocional, demonstrando que vocês têm valores compartilhados e utilizando recursos que tenham um apelo emocional. 

Um exemplo clássico é a campanha do Itaú com o meme de um bebê rindo quando um homem rasga um papel em sua frente.  

A empresa aproveitou o vídeo para falar sobre a digitalização do extrato do seu banco e como isso pode ajudar o meio ambiente. 

Em um único vídeo ela despertou uma reação emocional em seu público com o vídeo fofo de um bebê e mostrou que valoriza o meio ambiente para seus consumidores. 

4. Seja original

Além da relevância, mencionamos que a originalidade é um dos pilares inegociáveis do marketing viral. Mesmo que o formato seja o mesmo, como uma dança ou desafio, você precisa ter algo único em seu conteúdo. 

Talvez a forma como você produz, o roteiro, quem você chama para fazer esse conteúdo ou os efeitos visuais, algo precisa ter a sua marca. 

Para isso é importante alinhar bem sua estratégia de branding, definindo aspectos como tom de voz, valores e propósito de marca. 

Podemos retornar ao exemplo da troca de tweets entre a Netflix e Disney+. Outros streamings e marcas de outros nichos até chegaram a participar do tweet, mas com muitos jargões e frases claramente forçadas para tentar se adaptar à linguagem do público. 

É importante alinhar antes como a sua marca vai se comunicar para evitar ser visto como uma marca “agrada a todos” que acaba não agradando ninguém. 

Um exemplo de sucesso é do DJ brasileiro Mochakk, que após viralizar um de seus vídeos no TikTok conseguiu fechar diversas parcerias para tocar em lugares onde nem imaginava e hoje é um fenômeno da música eletrônica, tudo isso em pouquíssimo tempo. 

Ele só conseguiu isso graças aos seus traços únicos que o diferenciam de outros DJs, além da qualidade do seu trabalho. 

5. Aproveite o potencial de UGC

O conteúdo gerado por usuários (UGC) é uma fonte econômica e valiosa de conteúdo para sua marca. 

Ao incentivar a participação de seus consumidores em campanhas de marketing você está estabelecendo uma relação de confiança, além de explorar o marketing mais poderoso de todos: boca a boca. 

Ao invés de ficaram sabendo da sua marca por desconhecidos, as pessoas veem referências suas como pessoas famosas, amigos ou familiares divulgando a marca, o que tem um poder de influência significativamente maior. 

Um exemplo foi o desafio do balde de gelo que bombou nas redes sociais. A proposta era simples, filmar você derramando um balde de água gelada na sua cabeça e anunciar uma doação de dinheiro para a associação ALS, uma ONG que busca descobrir tratamentos e a cura para a doença. Feito isso, a pessoa desafia outra a fazer o mesmo. 

Simples e eficaz, os desafios instigam outras pessoas a fazerem o mesmo, especialmente quando o desafio vem de alguém que elas conhecem. Além é claro do apelo emocional de fazer uma doação para uma instituição bem intencionada. 

6. Crie um conteúdo útil

Nem só de entretenimento e humor vive o marketing viral. Criar um conteúdo útil como um infográfico ou vídeo curioso também pode incentivar a viralização. 

Um exemplo é o conteúdo da National Geographic mostrando como uma tarântula muda de pele em uma timelapse. 

7. Faça parcerias

As parcerias com pessoas chave relacionadas ao seu negócio podem ter um grande impacto ao alcançar seu público e cultivar uma conexão mais forte. 

Você pode trabalhar com influenciadores digitais, creators que estão começando, mas que vão agregar valor ao seu conteúdo, 

Um exemplo é talvez a campanha mais famosa de marketing da Dove, onde a marca convida um artista forense treinado pelo FBI para criar um retrato de mulheres como elas se descreviam e depois como outras pessoas as descreviam, para comparar ambas versões. 

O resultado é impactante e emocional, você pode ver no próprio vídeo: 

8. Explore tendências de forma criativa

Como mencionei, a originalidade é essencial, mesmo que no mesmo formato de conteúdo já explorado por outros criadores. 

Temos um exemplo clássico recente aqui no Brasil de uma campanha que explorou uma tendência e adicionou seu próprio “jeitinho brasileiro”. Esse exemplo foi produzido pela Prefeitura da Cidade de São Paulo, se liga: 

O vídeo viralizou e contribuiu para uma imagem mais descontraída da Prefeitura. 

Ferramentas para ajudar na viralização 

Mais do que viralizar, criar conteúdo de qualidade e obter resultados não é um processo fácil. Você precisa realizar vários testes, comparações, estudar o mercado e analisar os resultados de seus conteúdos. 

Felizmente, existem diversas ferramentas de social media com as quais podemos contar para ajudar nessa missão.  

Na própria mLabs você pode gerenciar suas redes de um só lugar e gerar relatórios que vão te ajudar a entender o que funciona melhor. 

Você pode usar outras ferramentas como o Google Trends e Google Alerts para identificar tendências de buscas e explorar tópicos em alta com seus conteúdos. 

BuzzSumo é outra ferramenta muito útil para analisar conteúdos de social media, saber o que está em alta e gerando mais engajamento. 

30-DIAS-GRATIS-MLABS: BANNER

Talvez criar conteúdo viral não precise ser o foco principal da sua estratégia, mas sim conteúdos de valor e que conectem com sua audiência.  

Com toda certeza aplicar as práticas mencionadas neste artigo irá te ajudar nesse processo e poderá potencializar o alcance e engajamento de todos seus conteúdos, independente do canal. 

Por isso, aproveite as dicas e aperfeiçoe seus posts, lembrando sempre de analisar os resultados e se adaptar de acordo. 

Aproveite para ler nosso artigo sobre produção de conteúdo para redes sociais para elevar seu nível nesses canais! 

Agende posts com a mLabs e
economize horas de trabalho!

VOCÊ ACABA DE GANHAR 30 dias grátis

Gerencie todas as mídias sociais

por 30 dias grátis