Grupo de Facebook para empresas: vale a pena ter um?

grupo de facebook

Você gostaria que a sua marca tivesse uma comunidade de fãs engajados no Facebook?

Esse é um dos grandes desejos das empresas atualmente: mais do que vários seguidores, elas desejam criar uma verdadeira conexão com (e entre) eles. Então, se você também pensa assim, ter um grupo de Facebook é essencial.

Esse recurso foi criado pelo Facebook para reunir amigos, vizinhos, colegas, fãs de uma banda ou ― o que mais nos interessa ― os consumidores de uma marca. Lá você pode trocar ideias com eles, mostrar novidades, tirar dúvidas, pedir opiniões e, assim, fortalecer laços.

Mas quais são as vantagens de um grupo de Facebook para empresas? Quando não vale a pena ter um?

Descubra agora as respostas pra isso!

3 principais motivos para a sua empresa ter um grupo de Facebook

Criar um grupo de empresa no Facebook é uma solução para construir uma comunidade em torno da sua marca. Mas não é só isso. Você também pode:

1. Aproximar a marca e os consumidores

Investir em marketing de relacionamento é um dos segredos das marcas de sucesso. Essa estratégia aprofunda os laços com o consumidor, de forma que ele se sente valorizado e tenha mais confiança na marca. E isso influencia diretamente nas suas decisões de compra.

Grupos de Facebook são canais para estreitar esse relacionamento, sem a intenção direta de vender. Essa é a oportunidade de humanizar a relação, unir as pessoas que gostam da sua empresa, dar voz a elas e até conquistar defensores da marca.

Foi isso que o Cemitério Jardim da Ressurreição pensou ao criar o grupo Fandom do CEMI. A página do cemitério no Facebook conquistou fãs no Brasil tratando a morte com um sarcasmo hilário! No grupo, então, os maiores fãs da marca se reúnem para trocar ideias na mesma temática (com pitadas ainda maiores de ironia…).

2. Entender o que os clientes da sua empresa pensam

Conversar com os consumidores é uma excelente forma de entender mais sobre os seus comportamentos, interesses e opiniões. Ao se aproximar do público, você consegue lapidar a sua buyer persona, e isso é valioso para as estratégias de negócio.

Você também pode integrá-los em algumas decisões da empresa. Se você tem uma loja, por exemplo, pergunte aos integrantes do grupo o que acharam da sua vitrine de Natal e faça ajustes conforme os comentários. Eles se sentirão especiais por isso.

O mesmo vale para os conteúdos do seu blog, canal no YouTube e outras redes sociais.

A forma mais fácil – e estratégica – de pensar em pautas, é perguntado diretamente ao público!

3. Aumentar o alcance orgânico da sua marca

No início de 2018, o Facebook anunciou uma mudança no algoritmo, que passaria a diminuir a exibição de posts de páginas no feed dos usuários. Mark Zuckerberg afirmou que os usuários passariam a ver mais posts de amigos, familiares e grupos.

Segundo o anúncio oficial, a intenção da rede é aproximar as pessoas e caminhar na direção da sua missão de “dar às pessoas o poder de construir uma comunidade e unir o mundo”. Então, enquanto a exibição dos posts de páginas sofre restrições, a visibilidade orgânica dos grupos aumenta.

grupo de facebook

O próprio Zuckerberg afirmou o potencial dos Grupos para marcas na época.

Por que criar um grupo de Facebook se já tenho uma página?

Você já viu os principais benefícios de criar um grupo de Facebook, mas talvez esteja se perguntando: por que fazer isso se eu já tenho uma página?

Além de oferecer mais visibilidade, como falamos acima, os grupos têm alguns diferenciais em relação às páginas de negócios.

A página funciona como a sua identidade na rede social. Lá você publica as suas informações e os posts (orgânicos ou pagos) relacionados ao seu negócio e às dores dos clientes. O seguidor participa de forma menos ativa, muito mais como observador.

No grupo, embora você seja o administrador, o consumidor é protagonista. Ele deixa de ser espectador, passa a participar ativamente e se sente importante para a marca. Esse é um espaço de interação!

Além das funcionalidades básicas, como publicar fotos e comentar, veja outros recursos dos grupos de Facebook:

  • Transmitir lives exclusivas para o grupo;
  • Criar eventos para o grupo e convidar os integrantes;
  • Compartilhar arquivos e documentos;
  • Analisar métricas das atividades do grupo (“Group Insights”).

Como você pôde ver, não se trata se escolher entre ter uma Fan Page ou um grupo para a sua empresa. Com os dois recursos, é possível atingir objetivos diferentes na estratégia e otimizar resultados.

Quando não vale a pena criar um grupo de Facebook para a sua empresa

Uma interação autêntica com os consumidores não significa apenas divulgar ofertas e produtos. Quem realmente gosta da sua marca não quer apenas descontos. Eles querem se aproximar dela, viver o seu lifestyle, celebrar suas conquistas e contribuir para o seu sucesso. Portanto, não tenha um grupo de Facebook se você quer ser apenas um panfleteiro.

Também não vale a pena ter um grupo de Facebook se você o deixar largado. Ele só produz os benefícios que citamos acima quando você publica novidades, lança debates e responde os comentários. É preciso manter o grupo ativo e estimular a participação.

Se não, ele será apenas mais um grupo que desaparece do feed dos usuários e acaba esquecido (assim como a sua marca!). Não é isso que você quer, certo?

Além de exigir uma postura constantemente ativa dos administradores, os grupos também têm uma desvantagem: a comunidade não pertence a você.

Imagine se o Facebook for descontinuado ou resolver excluir o recurso de grupos… Você perde as conexões construídas por lá! Além disso, você fica limitado aos recursos que a rede oferecer, sem liberdade para usar os seus formatos.

Então, considere também essas características ao decidir se você deve ou não criar um grupo de Facebook.

Planeje a estratégia do grupo de Facebook da sua empresa

Como qualquer estratégia digital, é preciso começar com um planejamento.

Defina primeiro quais são os objetivos da empresa ao criar um grupo de Facebook: aumentar o brand awareness, interagir mais com os consumidores, fidelizar clientes, testar lançamentos etc.

Para atingir esses objetivos, decida se o grupo será público, fechado ou secreto. Você pode, por exemplo, criar um grupo público para reunir todos os fãs da sua marca ou produto para aumentar o engajamento.

Mas essa não é a única opção: você também pode criar grupos secretos dos clientes mais fiéis ou de testadores dos seus produtos. A sensação de exclusividade dos integrantes vai estreitar ainda mais a relação com a marca e pode estimular a viralização de posts.

Para algumas empresas, vale a pena também criar grupos que envolvam os colaboradores ou parceiros do negócio. É isso que a Mary Kay faz. Vinculado à sua página oficial, existe um grupo fechado, chamado My Mary Kay, que reúne mais de 40 mil consultoras de beleza da marca nos Estados Unidos.

grupo de facebook mary kay

Além disso, é importante definir os responsáveis pela moderação do grupo, produção de conteúdos e interações, bem como uma agenda de publicações. Lembre-se de que deixar o grupo parado significa colocá-lo no caminho do esquecimento…

Pronto! Agora você já pode avaliar se vale a pena ou não ter um grupo de Facebook. Considere que ele demanda bastante trabalho para moderar e movimentar as interações.

Porém, se você gerenciar o grupo de maneira correta e ativa, os resultados de engajamento e relacionamento com o público serão valiosos!

Agora, se você ficou com alguma dúvida ou quer contribuir com a sua opinião, deixe um comentário logo abaixo. Queremos saber o que você pensa sobre esse assunto!

Facebook Comments
Gestão de redes sociais Entenda por que a mLabs é a ferramenta de gerenciamento de redes sociais escolhida por mais de 120 mil marcas!

Posts relacionados