Gerenciador de Anúncios do Facebook: como criar campanhas do Facebook Ads

Facebook Ads - trabalhando no computador

Já faz tempo que Facebook, com as diversas mudanças em seu algoritmo, deixou ainda mais complicado alcançar uma grande audiência organicamente em sua plataforma. Atualmente, menos de 5% (bem menos!) da base de seguidores de uma Fan Page consegue ver os posts dela. ☹

Como alternativa, existe a possibilidade de pagar para melhorar os resultados das estratégias online. E, para isso existe o Gerenciador de Anúncios do Facebook: uma ferramenta disponibilizada pela rede social para que você possa criar, veicular e analisar os resultados dos seus Facebook Ads.

O que é Facebook Ads?

De uma maneira geral, Facebook Ads são os anúncios publicitários que existem dentro do Facebook. Esses anúncios podem aparecer na lateral da sua timeline, na própria linha do tempo (com cara de post!), dentro de páginas, grupos, etc…

O Gerenciador de Anúncios do Facebook permite a criação de diferentes formatos de Ads (anúncios) e modelos de segmentação para que as empresas possam alcançar seus públicos de interesses com maior eficiência.

Dentro do sistema, é possível criar desde as propagandas que aparecem na rede social até impulsionar conteúdos, promover fan pages ou eventos, estimular curtidas, gerar leads, dentre outras ações.

Cada uma delas está alinhada com objetivos de negócios específicos e que podem ajudar as empresas na plataforma.

Como anunciar no Facebook Ads?

Primeiro, você precisará acessar o Gerenciador de Anúncios. Para isso, você precisará acessar o perfil no Facebook que administra as Fan Pages às quais seu anúncio estará vinculado. Clique em “Gerenciar Anúncios”.

Gerenciador de Anúncios Facebook Ads - acesso pelo perfil

Depois, escolha sua conta.

Gerenciador de Anúncios Facebook Ads - escolher conta

Depois, clique em “criar anúncio”.

Abrirá uma tela, onde você terá que escolher qual é o seu objetivo de marketing. Mas, antes de te explicar cada objetivo, vamos esclarecer outras coisas.

Estrutura das campanhas no Facebook Ads

A estrutura das campanhas do Facebook Ads tem 3 níveis:

  • nível de campanha;
  • nível de conjunto de anúncios;
  • nível de anúncio.

Gerenciador de Anúncios Facebook Ads - escolher objetivos

É válido salientar que há duas maneiras de se criar anúncios no Facebook e Instagram.

A primeira é pelo Impulsionar Página, o famoso boost. Basicamente, por essa ferramenta, criamos anúncios de maneira rápida no Facebook, mas deixamos de aproveitar MUITO do que a rede social pode nos oferecer.

A segunda é pelo Power Editor ou Gerenciador de Anúncios.

Por essas ferramentas, conseguimos usufruir de todo o poder que os anúncios em Facebook podem nos oferecer, graças às possibilidades de segmentação e alcance de público qualificado.

Nível de campanha

Aqui você escolherá o objetivo da sua campanha, de acordo com seu objetivo de marketing.

O Facebook divide os objetivos em 3 blocos: Reconhecimento, Consideração e Conversão. A divisão dentro desses blocos é a seguinte:

Reconhecimento

Reconhecimento de marca: Aqui você entrega seus anúncios para pessoas que são mais propensas a prestar atenção e que terão maior recall de marca nos próximos 2 a 3 dias.

Alcance: Com esse objetivo você exibirá seu criativo para o máximo de pessoas possíveis, dentro do seu público-alvo escolhido e nas proximidades que escolher.

Consideração

Tráfego: Esse objetivo exige ação do usuário. Para quem deseja levar o usuário para algum “lugar”, esse é o objetivo ideal. Seja site ou página dentro do Facebook, esse objetivo foca em conseguir que o usuário clique no link que ele deve ser direcionado.

Envolvimento: Se você quer aumentar o “envolvimento com sua publicação”, “curtidas na página” ou “participações no evento”, esse é seu objetivo. O Facebook vai priorizar a entrega de seus anúncios para pessoas que sejam mais propensas a tomar alguma dessas ações.

Instalações de app: Esse objetivo enviará as pessoas para a loja, onde elas encontrarão seu app para download.

Visualização de vídeos: Escolhendo esse objetivo, você promove seus vídeos, com o conteúdo que desejar, aumentando o reconhecimento de marca. Outro objetivo de branding, certo?

Geração de cadastro: Precisa aumentar sua lista de potenciais consumidores? Gerar Leads? Esse é seu objetivo. Aqui, os usuários preenchem um formulário, dentro do próprio Facebook, com dados que você julgar mais importantes. Você pode baixar sempre esses dados e utilizar como novas segmentações ou segmentações semelhantes.

Conversão

Conversões: Se você precisa que o usuário converta algo, seja o download de um e-book, alguma compra, preenchimento de formulário ou qualquer outra ação dentro do seu site ou app, é um objetivo que vale muito a pena de ser testado. Para que esse objetivo funcione e você consiga mensurar, é preciso instalar o famoso Pixel do Facebook. (Veja tópico sobre o assunto abaixo).

Venda de catálogo de produtos: Esse objetivo cria anúncios automáticos sobre seus produtos, baseado na sua audiência. É preciso criar um catálogo de produtos antes de começar (o Facebook disponibiliza um site destinado aos anunciantes. Para saber mais sobre catálogo clique aqui.

Visitas ao estabelecimento: Funciona para levar consumidores até sua loja física. É a união do online com o offline. O Facebook otimiza a entrega para pessoas próximas a um endereço definido. O anúncio aparece com um botão para obter rotas ou ligar para o estabelecimento.

Neste nível, você deverá também, decidir se optará pelo sistema de compra “Leilão” ou “Alcance e Frequência”.

Leilão ou Alcance e Frequência?

Em leilão, você é cobrado de acordo com o leilão de anúncios, feito pelo Facebook, que seleciona os melhores anúncios para veicular com base nos lances máximos e no desempenho. Para entender direitinho sobre leilão, acesse este link.

Essa decisão vai impactar no próximo passo, que é escolher o objetivo propriamente dito. Alguns objetivos estão disponíveis em ambos sistemas (Gerenciador e Power Editor) e outros só em um deles.

Segmentação

Além do objetivo da campanha, nesse nível, é preciso definir outras informações simples, como país da conta, nome, moeda e fuso horário.

Nesse nível, você decide seu público, orçamento e programação. Essa é a decisão mais importante desse nível. É aqui que você decide com quem vai falar.

Você tem disponíveis dados demográficos (idade, gênero, localização) e dados de interesse e comportamentos (interesse em comidas, entretenimento, estudantes, compradores online) para citar apenas alguns exemplos.

O Facebook disponibiliza DIVERSOS tipos de interesses, dados comportamentais e afins.

Você pode fazer uma segmentação bem específica ou mais abrangente, dependendo do que está procurando.

E é importante testar mais de um público para entender qual segmentação reage melhor aos seus anúncios, demonstra mais interesse e faz mais sentido para você.

Públicos personalizados e audiência semelhantes

Públicos personalizados são listas que você pode criar e aplicar em suas campanhas.

Para criar esse tipo de público, você pode fazer upload de um arquivo com números de celular, e-mails ou outros dados suportados, ou usar o tráfego do seu site, atividades no seu app ou engajamento no Facebook e Instagram (pessoas que curtiram a página ou interagiram de alguma forma).

A audiência semelhante é criar, literalmente, uma audiência semelhante a um outro público que você já tenha.

Gerenciador de anúncios do Facebook Ads - públicos personalizados

Sabe o público personalizado que você fez? Você pode criar uma audiência mais ou menos parecida com ele, atingindo pessoas propensas a ter um comportamento semelhante ao de seus consumidores. Legal, né?

Posicionamento

O próximo passo é definir o posicionamento do seu anúncio.

Gerenciador de anúncios do Facebook Ads - posicionamentos

Você pode optar pelo posicionamento automático (o próprio Facebook decide onde veicular para que você alcance seus objetivos da melhor forma), ou, editar posicionamentos. Na segunda opção, você é quem vai decidir onde esse anúncio vai aparecer.

Editando o posicionamento, você poderá escolher o tipo de dispositivo de acesso (se quer que o anúncio seja exibido só para quem tiver acessando via mobile, por exemplo), e em quais plataformas esse anúncio aparecer (Facebook, Messenger, Instagram, Audience Network).

Você também poderá escolher em quais lugares, dentro de cada plataforma, seu anúncio aparecerá. Se optar pelo Facebook, por exemplo, o anúncio poderá aparecer no feed, dentro de vídeos, na coluna à direita, etc.

Orçamento e programação (a resposta para a pergunta “quanto custa anunciar no Facebook Ads?”)

Nesta etapa, você definirá o orçamento e o período em que o anúncio permanecerá no ar.

Para orçamento, existem duas formas de escolha: diário e vitalício.

No primeiro, você define o valor que quer gastar por dia, ou seja, o Facebook entregará seu conteúdo e te cobrará, no máximo, aquele valor diário que você determinou. Isso significa que, quando sua verba acabar, seu anúncio automaticamente sai do ar.

No segundo, a rede social entrega seu conteúdo conforme a performance do dia, podendo variar o valor diário mas que, ao final do período da campanha, ele terá entregado o total definido.

Geralmente, a cobrança é feita de acordo com o objetivo de campanha. Existem três tipos de compra de anúncio:

  • CPA (Custo por Ação): você paga de acordo com a ação do usuário
  • CPC (Custo por clique): você paga por clique na sua chamada para ação
  • CPM (Custo por mil impressões): você paga a cada mil exibições do seu anúncio

Você pode definir, também, o valor do lance máximo de cada ação ou impressão, definindo um teto para os gastos. Ou optar por manter no automático, deixando à escolha do Facebook, que decidirá o teto do lance pensando sempre na otimização da sua campanha.

Manter o lance como automático pode ser uma boa ideia, assim, deixa-se que o Facebook otimize e entre nos leilões que considera mais relevantes para o seu anúncio. Entretanto, é sempre importante testarmos o uso de leilão manual contra automático nos anúncios para ver o que tem melhor performance.

Nível de Anúncio

Por fim, o último nível para uma campanha é o de anúncio. E é aqui que ele ganha forma!

Gerenciador de anúncios do Facebook Ads - identidade

De uma maneira geral, o anúncio é composto pelo texto e pela imagem (ou vídeo).

Na aba Identidade, você poderá escolher entre 4 tipos principais de imagem (e ainda adicionar a experiência de tela cheia):

Carrossel

Você escolhe de 2 até 5 imagens. E o usuário interage indo para a direita ou voltando para a esquerda. Esse formato de imagem contempla um espaço para um texto, título e descrição, além de possibilitar o direcionamento do usuário para sua página no Facebook, URL do site e localizador de lojas.

Imagem única

Uma imagem estática à sua escolha. Ela pode vir acompanhada de uma descrição apenas ou vir com a descrição, um título e um botão de Chamada Para Ação.

Vídeo

Semelhante à imagem única. A diferença é que o criativo está no formato vídeo.

Apresentação multimídia

É um tipo de slide, passado em forma de vídeo, em que você pode misturar imagens e pequenos vídeos, escolhendo tempo, transições, etc. Saiba mais.

Canva

O Canva é chamado de “experiência em tela cheia” pelo Facebook.

Nele, criamos quase que uma landing page (página de destino) na ferramenta de criação de canvas, mas que funciona dentro da própria rede social. Esse formato pode ser veiculado apenas no Facebook e em dispositivos móveis.

Neste nível, você também deverá inserir a (ou as) imagens/vídeo, texto e URL.

O que compõe um anúncio?

Descrição

Além da imagem ou vídeo, você poderá inserir um descritivo para os seus anúncios. Lembre-se sempre de entregar valor e falar com sua persona.

CTA – chamadas para ação

Todos os formatos têm os chamados botões call to action ou chamada para ação, desde que o objetivo da sua campanha dê essa opção ou que use um ID de publicação.

São importantes pois facilitam e garantem que o usuário clique e faça a ação exata que você quer.

Pense que, para sua audiência, esse é o único nível que importa.

Criativo

O criativo é o que você usa para se comunicar com seu público. É através dele que você passa sua mensagem, aquilo que é importante para seu negócio e cria uma conexão emocional.

Vale lembrar que as imagens e os textos têm limitações e especificações, número de caracteres e tamanho da imagem.

Existe ainda uma questão importante sobre os criativos: a porcentagem textual na imagem.

Por muito tempo, o Facebook Ads não permitia que as imagens dos anúncios tivessem mais do que 20% de texto.

Hoje em dia, a rede social permite que os anúncios rodem com mais texto, porém, o custo é mais elevado e a entrega é prejudicada.

É possível fazer uma simulação de como seu anúncio vai ficar e se ultrapassou os 20%. Basta acessar este link.

Além da simulação da porcentagem de texto, você consegue ter mais recomendações técnicas do que seu anúncio deve ter, através do guia disponibilizado pelo Facebook.

Pixel do Facebook

Outro ponto fundamental para quem anuncia com o Gerenciador de Anúncios do Facebook é o Pixel do Facebook.

O Pixel do Facebook é um código que você gera dentro do próprio Facebook e acrescenta em determinada página do seu site.

O pixel é composto por duas partes: o código base e o código de evento.

O código base não sofre alteração, diferente do código de evento que se altera de acordo com o evento que queremos contabilizar, ou seja, a ação que esperamos que o usuário tome.

Compras, downloads, adicionar produto ao carrinho, esses são exemplos de eventos.

Os programadores (caso você disponha desse time) devem inserir o pixel dentro do código fonte do site, de acordo com a página que o evento será contabilizado.

Quer contabilizar downloads de um e-book? O pixel deve ser inserido na página onde o usuário concretiza essa ação, na página de “obrigado” (página que abre depois que o lead preenche o formulário e clica no botão para baixar o e-book), por exemplo.

O pixel é útil em outro momento: na hora de criar uma campanha de retargeting

Sabe o usuário que entrou no seu site, preencheu o formulário, mas não clicou em enviar?

Tendo um código aplicado nessa página, você consegue rastrear os usuários que tiveram esse comportamento, daí você pode impactá-los em outro momento.

Rolou mais alguma dúvida? Dá uma olhada na central de ajuda do Facebook.

Como utilizar o Facebook Ads para aumentar vendas?

Agora que você já sabe como usar o Gerenciador de Anúncios do Facebook para criar campanhas, veja nossas dicas de como usar o Facebook Ads para aumentar suas vendas.

Crie anúncios atraentes (a melhor dica de como utilizar o Facebook Ads para aumentar vendas!)

Um dos pontos mais importantes na hora de usar o Facebook para vender mais é criar posts que chamem a atenção dos seus futuros clientes em meio a tantas outras informações interessantes na sua timeline.

Há duas posições principais nas quais os anúncios podem ser exibidos: Newsfeed e Lateral. Podemos ainda fazer anúncios padrão, adicionando uma imagem, ou mesmo promover um post da página. Para vender, gerar buzz em torno de um produto através de um post é melhor.

Para quem tem e-commerce, o formato padrão de anúncios é interessante, mas é válido usar o parametrizador de URL do Google para conseguir rastrear de onde vem o clique pelo Analytics.

O sucesso desse tipo de campanha depende também de outros fatores e boas práticas, entre elas: caprichar no título (pode ser o nome da sua empresa ou ainda uma pergunta ou informação importante para seus clientes), destacar os benefícios do produto ou serviço oferecidos no corpo do texto e de forma clara e objetiva, usar uma imagem chamativa, de preferência daquilo que está sendo vendido, e até mesmo criar mais de uma versão do seu anúncio e ver qual possui a melhor resposta.

Segmente seu público

O segundo ponto mais importante quando estiver criando um Facebook Ads é saber segmentar os perfis das pessoas que você pretende atingir. Com um público de 2 bilhões de usuários (sendo 92 milhões de usuários ativos somente no Brasil), anunciar para todo mundo é dar um tiro no escuro e, provavelmente, perder dinheiro.

Portanto, antes de publicar o seu anúncio, avalie critérios como local (somente onde há abrangência de negócio), idioma, nível de educação, idade, gênero, status de relacionamento – além, é claro, das opções de curtir dos interesses dessas pessoas.

Na hora de montar o seu anúncio, garanta que ele só será visto por pessoas que tenham um perfil adequado ao seu target.

Você ainda pode escolher anunciar para amigos de conexões, ou seja, fazer com que os amigos dos seus fãs vejam a sua publicidade, aumentando a credibilidade da publicidade, ou ainda direcionar os anúncios para suas conexões, fidelizando seus clientes.

Controle seu orçamento e avalie os relatórios

Também é importante definir um orçamento previamente e acompanhar de perto o desempenho da campanha, a fim de corrigir qualquer erro que apareça no decorrer do período e otimizar os resultados finais.

Após o término da campanha, vá no Gerenciador de Anúncios e analise métricas detalhadas e os relatórios disponibilizados na área para você.

Essas informações serão cruciais para te ajudar a melhorar o seu desempenho na próxima campanha e aprimorar os seus futuros anúncios.

Gostou deste post? Quer tê-lo sempre à mão para consultas? Baixe nosso e-book completo sobre como usar o Gerenciador de Anúncios do Facebook para fazer Ads! Este post é um compilado de textos desse material!

Facebook Comments
Gestão de redes sociais Entenda por que a mLabs é a ferramenta de gerenciamento de redes sociais escolhida por mais de 30 mil marcas brasileiras!

Posts relacionados